terça-feira, 13 de setembro de 2011

TAYLORISMO/FORDISMO/TOYOTISMO E KEYNESIANISMO.



Quando debatemos sobre o processo de desenvolvimento da Revolução Industrial, costumamos privilegiar a importância das inovações tecnológicas como elemento central desse fato histórico. Sem dúvida, a combinação entre a demanda fabril e o conhecimento aprimorado em laboratórios foi de grande importância para que enxergássemos como foi possível a instalação desse novo ritmo de produção e consumo de mercadorias.
Contudo, a simples concepção de novas máquinas não pode ser suficiente para que tenhamos uma noção mais ampla sobre o processo de produção na era industrial. Devemos também salientar que outras interferências nas formas de trabalho e na política administrativa das indústrias também tiveram grande importância. Nesse sentido, a racionalização das atividades industriais garantiu a ampliação dos lucros e o sucesso comercial de uma empresa.
Por muito tempo, os problemas ocorridos durante o processo de fabricação encareciam o valor final do produto e limitava o potencial produtivo de uma indústria. Concomitantemente, para que um bem fosse fabricado, vários funcionários se reuniam e desempenhavam funções aleatórias que limitavam o aperfeiçoamento técnico de cada trabalhador. Em outras situações, a mão de obra de um operário era desperdiçada no tempo em que esperava pela conclusão da tarefa de outro funcionário.


Tentando solucionar esse problema, o empresário norte-americano Henry Ford estabeleceu um eficiente modelo desenvolvido segundo as necessidades de expansão da indústria automobilística. Para tanto, concebeu a chamada linha de produção. Essa linha era composta por uma esteira rolante que movimentava o produto fabricado. A cada movimento, um operário desempenhava uma pequena parcela da montagem do produto industrial.


Por meio desse modelo, Henry Ford conseguiu diminuir o número de problemas que afetavam a qualidade do produto a ser comercializado. Ao mesmo tempo, empreendeu uma nova dinâmica de produtividade ao conseguir fabricar uma quantidade de automóveis nunca antes observada. O sucesso de sua experiência acabou sendo empregado em outros campos da economia industrial. Consequentemente, a possibilidade lucrativa das indústrias aumentou de forma exorbitante.
MODELO DE FÁBRICA IDEAL PARA O FORDISMO

Outro importante método de racionalização do trabalho industrial foi concebido graças aos estudos desenvolvidos pelo engenheiro norte-americano Frederick Winslow Taylor. Uma de suas preocupações fundamentais era conceber meios para que a capacidade produtiva dos homens e máquinas atingisse seu patamar máximo. Para tanto, ele acreditava que estudos científicos minuciosos deveriam combater os problemas que impediam o incremento da produção.



Utilizando de uma série de experimentações, Taylor provou que o máximo controle sobre o desempenho das máquinas e do trabalho poderia desenvolver uma indústria. As situações empíricas, ou seja, aquelas que não poderiam ser controladas por meio de dados estatísticos e numéricos deveriam ser expressamente tolhidas. O treinamento, a especialização e o controle seriam as ferramentas básicas que concederiam a interferência positiva na produtividade da indústria.
Ao longo do tempo, a popularização desses conceitos fez com que a demanda por mercados consumidores, matéria prima e mão de obra aumentassem. A indústria que melhor conseguiria atingir e reproduzir as concepções instituídas por Ford e Taylor teria oportunidade de conquistar novos mercados e superar os demais concorrentes comerciais. Até a segunda metade do século XX, estes modelos influenciaram o processo de industrialização em várias partes do mundo.

PRODUÇÃO ENXUTA: O MODELO TOYOTISTA

Na produção em série da Ford ainda houve muitos desperdícios de matéria prima e tempo de mão-de-obra na correção de defeitos do produto. Essa estrutura durou até o final da Segunda Guerra Mundial, quando também numa fábrica de automóveis no Japão, aparece um outro sistema de produção - o toyotismo, que se caracterizou pela concepção "enxuta" (clean, magra, sem gorduras). Esse novo modo de pensar a produção sofreu forte influência do engenheiro americano W. Edwards Deming, que atuou como consultor das forças de ocupação dos EUA no Japão após a Segunda Guerra. Deming argumentava com os industriais da nação quase em ruínas que melhorar a qualidade não diminuiria a produtividade.


A proposta é de que o próprio consumidor escolha seu produto. O estabelecimento ou a fábrica deixa de "empurrar" a mercadoria para o cliente, para que este a "puxe" de acordo com as suas próprias necessidades.
Ao contrário do sistema de massa, essa outra concepção de produção delega aos trabalhadores a ação de escolher qual a melhor maneira de exercerem seus trabalhos, assim eles têm a chance de inovar no processo de produção. Com isso, o trabalhador deve ser capacitado, para qualificar suas habilidades e competências, que antes não eram necessárias. Dessa forma, os industriais investem na melhoria dos funcionários, dentro e fora das indústrias.
A Toyota, ao adotar a concepção "enxuta" e rompendo com a produção em série, possibilitou oferecer um produto personalizado ao consumidor. As ferramentas utilizadas eram de acordo com cada proposta demandada pelo cliente. Inclusive, passou a produzir automóveis com larga escala de cores, sem gerar custos adicionais.
Os operários japoneses utilizam uma cartela (kanban, sinal) para indicar ao colega antecedente qual a peça deveria ser produzida e entregue. Dessa forma, conseguem eliminar o estoque e o desperdício, produzindo somente o que for necessário, JIT - "just in time".

Cidade da Toyota, Japão

SEDE DA TOYOTA NO JAPÃO

A fábrica centralizada da Ford, que ocupava um enorme espaço, deixa de existir. As fábricas da Toyota, sem necessitar de grande área para estoque, são descentralizadas em menores proporções, interligadas por sistemas de informação, com sofisticadas tecnologias de informação e comunicação.
Dois conceitos inovadores que surgiram na Toyota merecem destaque: equipe de trabalho (team work) e qualidade total. Em uma fábrica "enxuta" todo o trabalho é feito por equipes. Quando um problema aparece, toda a equipe é responsável. Quando ocorre um defeito na montagem de uma peça, a equipe de montagem se organiza na busca de maneiras de resolver o problema. Há uma cobrança entre os pares para que cada membro atue de uma maneira que não prejudique os companheiros. Algumas fábricas delegam à equipe a função de demitir ou aceitar novos funcionários.
Junto com a qualidade total também foram inseridas novas máquinas para o interior das indústrias, com maior precisão e produtividade. A substituição da mão-operária pelas máquinas fez com que aumentasse o desemprego em escala mundial, inclusive nos países desenvolvidos economicamente. Contudo, a concepção "enxuta" passou a exigir maior autonomia tanto do trabalhador para expor as suas habilidades, quanto do consumidor para dar vez à sua vontade. É nesse modelo que o sujeito tem a chance de escolher, tomar decisões, propor soluções e gerar novas ideias.
Se a equipe de trabalho gerou a qualidade total na concepção "enxuta", podemos então propor um processo de design que seja construído de acordo com as qualidades do cliente, que contemple suas necessidades, seu gosto e o requinte do designer.
Para o profissional do design apenas uma pergunta: no seu processo de criação, você está visando clientes da sociedade enxuta ou ainda está amarrado à produção de massa.

A doutrina keynesiana é uma teoria econômica que ganhou destaque no início da década de 1930, no momento em que o capitalismo vivia uma de suas mais graves crises. Nesta época, as nações capitalistas geriam o campo econômico com base nas teorias estabelecidas por liberalismo clássico, doutrina econômica onde se defendia a ideia de que o desenvolvimento econômico de uma nação estaria atrelado a um princípio de não-intervenção do Estado na economia.
De fato, a proposta keynesiana tem como ponto fundamental revisar as teorias liberais lançadas pelo teórico Adam Smith, principalmente, no que se refere às novas configurações assumidas pela economia capitalista. O principal responsável por tal exercício de revisão do liberalismo foi o economista britânico John Maynard Keynes, que em sua obra “Teoria Geral do Emprego, do Juro e do Dinheiro” estabeleceu os pontos fundamentais da teoria econômica que leva o seu nome.
Segundo o pensamento keynesiano, a premissa fundamental para se compreender uma economia encontrava-se na simples observação dos níveis de consumo e investimento do governo, das empresas e dos próprios consumidores. Partindo desse princípio, a doutrina keynesiana aponta que no momento em que as empresas tendem a investir menos, inicia-se todo um processo de retração econômica que abre portas para o estabelecimento de uma crise.
Dessa maneira, para que essa situação fosse evitada, o keynesianismo defende a necessidade do Estado em buscar formas para se conter o desequilíbrio da economia. Entre outras medidas, os governos deveriam aplicar grandes remessas de capital na realização de investimentos que aquecessem a economia de modo geral. Paralelamente, era de fundamental importância que o governo também concedesse linhas de crédito ao baixo custo, garantido a realização de investimentos do setor privado.
Promovendo tais medidas de incentivo, os níveis de emprego aumentariam e consequentemente garantiriam que o mercado consumidor desse sustentação real a toda essa aplicação de recursos. Dessa maneira, o pensamento proposto por Keynes transformava radicalmente o papel do Estado frente à economia, colocando em total descrédito as velhas perspectivas do “laissez faire” liberal.
Somente a partir da década de 1970, novas correntes de pensamento econômico combateram os princípios do pensamento keynesiano. Nessa época, a retração dos altos índices de desenvolvimento alcançados nas duas décadas seguintes à Segunda Guerra Mundial pôs em cheque a teoria John M. Keynes. Com isso, as perspectivas liberais dos teóricos da escola monetarista de Chicago ganharam destaque no pensamento econômico capitalista.






ATIVIDADES :
1- O processo de produção com a introdução das máquinas não trouxe o resultado esperado.Explique as causas e consequências que ocorriam no processo de produção:2- Quais as principais características do Fordismo?
3- Em relação a economia , como funcionava o liberalismo clássico?
4- Quais as principais características da teoria Keynesiana ?
5- Explique a produção enxuta da Toyota :
6- Quais as principais características do Taylorismo?


55 comentários:

Anônimo disse...

1- o trabalho industrial foi fragmentado, pois cada trabalhador passou a exercer uma atividade específica no sistema industrial. A organização foi hierarquizada e sistematizada, e o tempo de produção passou a ser cronometrado. Com isso, aumenta a produtividade de trabalho das empresas.
2- Aumentava a produção, eram lentos na locomoção, baixos preços ajudavam no aumento e crescimento das vendas dos automoveis.
3- onde o governo nacional tinha a obrigação de manter altos níveis de emprego na economia, supervisionar os padrões de vida e trabalho, regular os métodos de competição empresarial e de estabelecer padrões compreensivos de segurança social
4- A idéia principal era produzir somente o necessário, reduzindo os estoques, produzindo em pequenos lotes, com a máxima qualidade, trocando a padronização pela diversificação e produtividade. As relações de trabalho também foram modificadas, pois agora o trabalhador deveria ser mais qualificado, participativo e polivalente, ou seja, deveria estar apto a trabalhar em mais de uma função.
5- consiste numa organização político-econômica, oposta às concepções neoliberalistas, fundamentada na afirmação do Estado como agente indispensável de controle da economia, com objetivo de conduzir a um sistema de pleno emprego. Tais teorias tiveram uma enorme influência na renovação das teorias clássicas e na reformulação da política de livre mercado.

Vitor Reiser 28
2C

Anônimo disse...

nome:Bernardo Kowalsky nº:6 - 6º ano C

1.A teoria de Taylor fez com que os operarios executassem de forma mais simples e rrapida a sua funçao,incentivos salariais e premios de produçao,padronizaçaoe aplicaçao de metodos para reduzir custus

2. O Fordismo foi o sistema de produção em massa de mercadorias das mais diversas espécies. Objetivo deste sistema era reduzir ao máximo o custo de produção, baratear o produto, e vender para o maior número possível de consumidores.

3. O liberalismo clássico tem como sua principal característica um pensamento democrático.

4. A Escola Keynesiana se fundamenta no princípio de que o ciclo econômico não é auto regulado, como pensam os neoclássicos. A Teoria atribui ao Estado o direito e o dever de conceder benefícios sociais que garantam a população um padrão mínimo de vida.

5. A produção se baseia basicamente em:
Mão de obra multifuncional e bem qualificada.
Sistema flexivel de mecanização voltada para a produção somente do necessário.
Implantação do sistema de qualidade total em todas as etapas de produção.
Uso de pesquisas de mercado para adaptar os produtos as exigências dos clietes.

Anônimo disse...

1-A simples concepção de novas máquinas não pode ser suficiente para que tenhamos uma noção mais ampla sobre o processo de produção na era industrial.
Por muito tempo, os problemas ocorridos durante o processo de fabricação encareciam o valor final do produto e limitava o potencial produtivo de uma indústria.. Em outras situações, a mão de obra de um operário era desperdiçada no tempo em que esperava pela conclusão da tarefa de outro funcionário.
2-Uma das principais características do fordismo foi o aperfeiçoamento da linha de montagem. Os veículos eram montados em esteiras rolantes, que se movimentavam enquanto o operário ficava praticamente parado. Buscava-se assim a eliminação do movimento inútil: o objeto de trabalho era entregue ao operário, em vez de ele ir buscá-lo. Cada operário realizava apenas uma operação simples ou uma pequena etapa da produção.
3-Liberalismo clássico, doutrina econômica onde se defendia a ideia de que o desenvolvimento econômico de uma nação estaria atrelado a um princípio de não intervenção do Estado na economia. Liberalismo clássico é a ideia que economia laissez-faire conseguiria criar uma ordem espontânea ou mão invisível que beneficiaria a sociedade, apesar de que ele não se opõe a provisão de alguns produtos básicos pelo governo onde eles são vistos como limitados.
4-keynesiana é uma teoria econômica que ganhou destaque no início da década de 1930, no momento em que o capitalismo vivia uma de suas mais graves crises. Nesta época, as nações capitalistas geriam o campo econômico com base nas teorias estabelecidas por liberalismo clássico.
A proposta keynesiana tem como ponto fundamental revisar as teorias liberais lançadas pelo teórico Adam Smith, principalmente, no que se refere às novas configurações assumidas pela economia capitalista.
5-A produção em série da Ford ainda houve muitos desperdícios de matéria prima e tempo de mão-de-obra na correção de defeitos do produto. Essa estrutura durou até o final da Segunda Guerra Mundial, quando também numa fábrica de automóveis no Japão, aparece outro sistema de produção - o toyotismo, que se caracterizou pela concepção "enxuta”.
Em uma fábrica "enxuta" todo o trabalho é feito por equipes. Quando um problema aparece, toda a equipe é responsável. Quando ocorre um defeito na montagem de uma peça, a equipe de montagem se organiza na busca de maneiras de resolver o problema.
6- A principal característica deste sistema é a organização e divisão de tarefas dentro de uma empresa com o objetivo de obter o máximo de rendimento e eficiência com o mínimo de tempo e atividade. As principais características são: Divisão das tarefas de trabalho dentro de uma empresa; Especialização do trabalhador; Treinamento e preparação dos trabalhadores de acordo com as aptidões apresentadas.
Larissa 2°C N°28

Anônimo disse...

Camila Silveira Medeiros – 08 – 2ºano A.

1 – A criação de novas máquinas não pode ser suficiente para dizer o que foi o processo industrial. Durante muito tempo, houveram vários problemas ocorridos no processo de fabricação. Com o encarecimento do valor final do produto se limitava o potencial de produção da uma indústria. Simultaneamente, para que algo fosse fabricado, vários funcionários se reuniam e desempenhavam funções aleatórias que limitavam o aperfeiçoamento técnico de cada trabalhador. Em outras situações, a mão de obra de um operário era desperdiçada no tempo em que esperava pela conclusão da tarefa de outro funcionário.

2- O aperfeiçoamento da linha de montagem. Os veículos eram montados em esteiras rolantes, que se movimentavam enquanto o operário ficava praticamente parado. Buscava-se assim a eliminação do movimento inútil: o objeto de trabalho era entregue ao operário, em vez de ele ir buscá-lo. Cada operário realizava apenas uma operação simples ou uma pequena etapa da produção. Desta forma não era necessária quase nenhuma qualificação dos trabalhadores.

3- O liberalismo é uma doutrina política e econômica que enfatiza os direitos e liberdades dos indivíduos e a necessidade de se limitar o poder dos governantes. Além da ênfase nas liberdades individuais, os liberais são profundamente comprometidos com uma separação rígida entre as esferas pública e privada. Os pensamentos liberais sobre a economia seguem as ideias colocadas por Adam Smith, que defendem que os sistemas econômicos baseados em mercados livres e liberdade de iniciativa são mais eficientes e geram mais prosperidade do que aqueles que são totalmente ou parcialmente controlados pelo estado.

4- Keynesianismo é a teoria econômica consolidada pelo economista inglês John Maynard Keynes em seu livro Teoria geral do emprego, do juro e da moeda e que consiste numa organização político-econômica, oposta às concepções neoliberalistas, fundamentada na afirmação do Estado como agente indispensável de controle da economia, com objetivo de conduzir a um sistema de pleno emprego. Tais teorias tiveram enorme influência na renovação das teorias clássicas e na reformulação da política de livre mercado.Atribuiu ao Estado o direito e o dever de conceder benefícios sociais que garantam à população um padrão mínimo de vida como a criação do salário-mínimo, do salário-desemprego, da redução da jornada de trabalho (que então superava 12 horas diárias) e assistência médica gratuíta.

5- O toyotismo, que se caracterizou pela concepção "enxuta". Esse novo modo de pensar a produção sofreu forte influência do engenheiro americano W. Edwards Deming. Deming argumentava com os industriais da nação quase em ruínas que melhorar a qualidade não diminuiria a produtividade. A proposta é de que o próprio consumidor escolha seu produto. O estabelecimento ou a fábrica deixa de "empurrar" a mercadoria para o cliente, para que este a "puxe" de acordo com as suas próprias necessidades.
Ao contrário do sistema de massa, essa outra concepção de produção delega aos trabalhadores a ação de escolher qual a melhor maneira de exercerem seus trabalhos, assim eles têm a chance de inovar no processo de produção. Com isso, o trabalhador deve ser capacitado, para qualificar suas habilidades e competências, que antes não eram necessárias. Dessa forma, os industriais investem na melhoria dos funcionários, dentro e fora das indústrias.

6- Algumas características do Taylorismo: Racionalização da produção, economia de mão-de-obra, aumento da produtividade no trabalho, corte de “gestos desnecessários de energia” e de “comportamentos supérfluos” por parte do trabalhador e acabar com qualquer desperdício de tempo.

Anônimo disse...

1) A simples concepção de novas máquinas não pode ser suficiente para que tenhamos uma noção mais ampla sobre o processo de produção na era industrial. Devemos também salientar que outras interferências nas formas de trabalho e na política administrativa das indústrias também tiveram grande importância. Nesse sentido, a racionalização das atividades industriais garantiu a ampliação dos lucros e o sucesso comercial de uma empresa. Por muito tempo, os problemas ocorridos durante o processo de fabricação encareciam o valor final do produto e limitava o potencial produtivo de uma indústria.

2) Uma das principais características do Fordismo foi o aperfeiçoamento da linha de montagem. Os veículos eram montados em esteiras rolantes que movimentavam-se enquanto o operário ficava praticamente parado, realizando uma pequena etapa da produção. Desta forma não era necessária quase nenhuma qualificação dos trabalhadores. O método de produção fordista exigia vultuosos investimentos e grandes instalações, mas permitiu que Ford produzisse mais de 2 milhões de carros por ano, durante a década de 1920.

3) Assim sendo, é a fusão doliberalismo econômicocom liberalismo político do final do século XVIII e século XIX. O "núcleo normativo" do liberalismo clássico é a ideia que economia laissez-faire conseguiria criar uma ordem espontânea ou mão invisível que beneficiaria a sociedade, apesar que ele não se opõe a provisão de alguma produtos básicos pelo governo onde eles são vistos como limitados. A qualificação clássico é aplicado retroativamente para distinguir ele do conceito de liberalismo social desenvolvido no século XX. Liberais clássicos suspeitam de tudo a não ser o mais minimo dos governos e são contra o estado de bem-estar social.

4) Keynesianismo é a doutrina criada pelo inglês John Maynard Keynes que consiste numa organização político-econômica, oposta às concepções neoliberalistas, fundamentada na afirmação do Estado como agente de controle total ou majoritário da economia, com obejtivo de conduzir a um sistema de pleno emprego. Tais teorias tiveram enorme influencia na renovação das teorias clássicas e na reformulação da política de livre mercado.

5) Buscam generalizar o sistema japonês e o rebatizam para “Produção Enxuta”, com a justificativa de que nele se utilizam menores quantidades de tudo em comparação com a produção em massa: menor esforço dos operários da fábrica, menor espaço para fabricação, menor investimento em ferramentas, menos horas de planejamento para desenvolver novos produtos, menor tempo de desenvolvimento, menores estoques e menor número de defeitos. Em 1996, Womack & Jones publicaram o livro “A Mentalidade Enxuta”, em que eles buscaram explicar o pensamento e os princípios por trás da Produção Enxuta. Desde a publicação desses dois livros, os termos “Sistema Toyota de Produção” e “Produção Enxuta” passaram a ser tratados praticamente como sinônimos, havendo poucas diferenças – e não consensuais – entre eles.

6) - Ênfase nas tarefas, objetivando o aumento da eficiência ao nível operacional.
- Valorização da eficiência dos empregados.
- Buscar ampliar a eficácia dos operários e os lucros.
- Uso de métodos cientificos para aperfeiçoamento do processo industrial


Bruna Vicente nº 12 2ºC

Anônimo disse...

Mariana Busarello de Souza
nº: 41
Série: 2ºC

1-Com a substituição da manufatura pelas máquinas, foi preciso trabalhadores para operá-las. Para que um bem fosse fabricado, vários funcionários se reuniam e desempenhavam funções aleatórias que limitavam o aperfeiçoamento técnico de cada trabalhador. Em outras situações, a mão de obra de um operário era desperdiçada no tempo em que esperava pela conclusão da tarefa de outro funcionário.

2-Tentando solucionar os problemas, o empresário Henry Ford desenvolveu a linha de produção. Essa linha era composta por uma esteira rolante que movimentava o produto fabricado. A cada movimento, um operário desempenhava uma pequena parcela da montagem do produto industrial.
*Os defeitos no produto só são identificados no final da produção
*A empresa fabricava muito das peças que compunham seus produtos
*Para não faltar peças, estas eram fabricadas em excesso, gerando estoque.
*O funcionário devia se preocupar apenas com as atividades imediatas.
*A empresa devia executar os projetos feitos pelos seus engenheiros.

3- O liberalismo defendia a ideia de que o desenvolvimento econômico de uma nação estaria atrelado a um princípio da não intervenção do Estado na economia. Uma das conquistas do liberalismo clássico foi o Estado Moderno não intervencionista, ou seja, o livre mercado direcionando e regulando a economia.

4-Segundo o pensamento keynesiano, a premissa fundamental para se compreender uma economia encontrava-se na simples observação dos níveis de consumo e investimento do governo, das empresas e dos próprios consumidores. Partindo desse princípio, a doutrina keynesiana aponta que no momento em que as empresas tendem a investir menos, inicia-se todo um processo de retração econômica que abre portas para o estabelecimento de uma crise.
Dessa maneira, para que essa situação fosse evitada, o keynesianismo defende a necessidade do Estado em buscar formas para se conter o desequilíbrio da economia. Entre outras medidas, os governos deveriam aplicar grandes remessas de capital na realização de investimentos que aquecessem a economia de modo geral. Paralelamente, era de fundamental importância que o governo também concedesse linhas de crédito ao baixo custo, garantido a realização de investimentos do setor privado.
Promovendo tais medidas de incentivo, os níveis de emprego aumentariam e consequentemente garantiriam que o mercado consumidor desse sustentação real a toda essa aplicação de recursos.

5-A Toyota, ao adotar a concepção "enxuta" e rompendo com a produção em série, possibilitou oferecer um produto personalizado ao consumidor.
*Os funcionários interrompem a produção a qualquer momento para consertar falhas.
*A maioria das peças é feita por outras companhias, os fornecedores.
*O estoque é mínimo, os fornecedores entregam as peças quando a companhia as solicita.
*O funcionário-modelo é aquele que identifica o problema e propõe soluções.
*Os funcionários devem se preocupar com a aplicação do produto terá depois de ser vendido
*A empresa deve planejar a produção de modo a atender o desejo de seus clientes.
6- Quais as principais características do Taylorismo?
* Uma de suas preocupações fundamentais era conceber meios para que a capacidade produtiva dos homens e máquinas atingisse seu patamar máximo.
*Estudos científicos minuciosos deveriam combater os problemas que impediam o incremento da produção.
*O máximo controle sobre o desempenho das máquinas e do trabalho poderia desenvolver uma indústria. As situações empíricas, ou seja, aquelas que não poderiam ser controladas por meio de dados estatísticos e numéricos deveriam ser expressamente tolhidas.
*O treinamento, a especialização e o controle seriam as ferramentas básicas que concederiam a interferência positiva na produtividade da indústria.

pollyanna disse...

pollyanna 2 B número:33

1- os problemas ocorridos durante o processo de fabricação encareciam o valor final do produto e limitava o potencial produtivo de uma indústria. Concomitantemente, para que um bem fosse fabricado, vários funcionários se reuniam e desempenhavam funções aleatórias que limitavam o aperfeiçoamento técnico de cada trabalhador. Em outras situações, a mão de obra de um operário era desperdiçada no tempo em que esperava pela conclusão da tarefa de outro funcionário.
Tentando solucionar esse problema, o empresário norte-americano Henry Ford estabeleceu um eficiente modelo desenvolvido segundo as necessidades de expansão da indústria automobilística. Para tanto, concebeu a chamada linha de produção. Essa linha era composta por uma esteira rolante que movimentava o produto fabricado. A cada movimento, um operário desempenhava uma pequena parcela da montagem do produto industrial.
os problemas ocorridos durante o processo de fabricação encareciam o valor final do produto e limitava o potencial produtivo de uma indústria. Concomitantemente, para que um bem fosse fabricado, vários funcionários se reuniam e desempenhavam funções aleatórias que limitavam o aperfeiçoamento técnico de cada trabalhador. Em outras situações, a mão de obra de um operário era desperdiçada no tempo em que esperava pela conclusão da tarefa de outro funcionário.

2- Fordismo é um modelo de Produção em massa que revolucionou a indústria automobilística na primeira metade do século XX. Ford utilizou à risca os princípios de padronização e simplificação de Frederick Taylor e desenvolveu outras técnicas avançadas para a época. Suas fábricas eram totalmente verticalizadas. Ele possuia desde a fábrica de vidros, a plantação de seringueiras, até a siderúrgica.
Ford criou o mercado de massa para os automóveis. Sua obsessão foi atingida: tornar o automóvel tão barato que todos poderiam comprá-lo.

3- doutrina econômica onde se defendia a ideia de que o desenvolvimento econômico de uma nação estaria atrelado a um princípio de não-intervenção do Estado na economia.

4- Conjunto de idéias que propunham a intervenção estatal na vida econômica com o objetivo de conduzir a um regime de pleno emprego. As teorias de John Maynard Keynes tiveram enorme influência na renovação das teorias clássicas e na reformulação da política de livre mercado. Acreditava que a economia seguiria o caminho do pleno emprego, sendo o desemprego uma situação temporária que desapareceria graças às forças do mercado.
O objetivo do keynesianismo era manter o crescimento da demanda em paridade com o aumento da capacidade produtiva da economia, de forma suficiente para garantir o pleno emprego, mas sem excesso, pois isto provocaria um aumento da inflação.

5- os operários interrompem a produção a qualquer momento para consertar falhas. A maioria das peças é feita por outras companhias, os fornecedores. O estoque e mínimo, os fornecedores entregam as peças quando a companhia as solicita. O operário-modelo é aquele que identifica problemas e propõe soluções. O funcionário deve se preocupar com a aplicação que o produto terá depois de vendido. A empresa deve planejar a produção de modo a atender aos desejos de seus clientes.

6- A principal característica do taylorismo é a expropriação dos conhecimentos das técnicas de produção, anteriormente detido pelos trabalhadores, colocando-o sob o controle do capital.

Anônimo disse...

1. Os processos de produção durante a insdutrialização surgiram com a necessidade de aprimorar e aumentar a produção,para atender a demanda do mercado consumidor e gerar mais lucros. A introdução de maquinas foi essencial para a agilização desse processo, com fabricação em massa, menos tempo de produção e melhor qualidade do produto fabricado. Porem esse ritmo de trabalho tinha suas consequências como o encarecimento do produto por causa de problemas durante o processo,que afetava o potencial da fabrica, e também o desperdício da mao de obra que alguns que deveriam esperar pela conclusão da tarefa de outros funcionários. A forma de trabalho mudava nessa época e as politicas administrativas também,que buscavam incessantemente meios de potencializar a fabricação gerando mais e mais lucros.
2. O fordismo adotava um método conhecido como linha de produção, onde o produto era movido por uma esteira rolante e cada funcionário executaria uma pequena parte da produção. Dessa maneira, para que o sistema funcionasse as tarefas eram dividas e cada um realizava uma parte (possibilitando aperfeiçoamento), a fabricação era feita em massa,reduzindo os custos e tempo da produção,barateando o produto,para vender cada vez mais. Os trabalhadores faziam trabalhos repetitivos e desgastantes,recebendo baixos salários e deveriam ser obedientes. A fabrica fazia um grande estoque de peças e o erros na fabricação eram percebidos apenas no final do processo.
3. O liberalismo clássico,defende que o desenvolvimento da economia não deveria fazer relação com o Estado. Na época em que o mundo capitalista enfrentava grandes crises (por volta da década de 30) este era o principio que seguiam para administrarem suas economias.
4. As principais características da teoria Keynesiana formam pensamentos que defendem que o Estado precisa investir na economia para que ela não entre em crise, e não estenda essa crise para o território nacional. Para que se compreendesse a economia era necessária a observação dos níveis de consumo e investimento do governo,das empresas e dos consumidores. Ela defende a busca de medidas,pelo Estado, para conter o desequilíbrio da economia.
5. O toytismo adotou uma concepção enxuta, diferente da produção em massa do fordismo. Produziam somente o necessário e de acordo com a vontade do cliente, isso evitava desperdício e estoque. A maioria das peças eram feitas por outras companhias e eram adquiridas de acordo com a necessidade. Os erros eram rapidamente detectados e corrigidos. Os trabalhadores eram capacitados e a empresa investia nos mesmos,para que pudessem sempre ajudar e montar o produto que o cliente idealizava.
6. O taylorismo,através de estudos propôs que um trabalhador executava melhor e em menos tempo tais tarefas. Assim,essa divisão aumentava a eficiência,economizava tempo,gerava disciplina,ordem e uma hierarquia dentro da fabrica. Havia um grande controle nas tarefas realizadas e no funcionamento das maquinas, e o treinamento levava à especialização.


Eduarda Flores 08
2B

Anônimo disse...

1-O processo de produção com a introdução das máquinas não trouxe o resultado esperado.Explique as causas e consequências que ocorriam no processo de produção: Entre as causas estão o querer inovar a tecnologia, produzir mais em menos tempo, lucrar mais. Essa introdução das máquinas foi ampliação dos lucros, e o sucesso das empresas, foi o término do artesanal, em um pulo onde as máquinas não paravam e cada funcionário teria uma função, e não poucos funcionários participando de todas as etapas. Porém o valor final do produto não era acessível a todo o mercado consumidor.

2- Quais as principais características do Fordismo?Atendendo as necessidades de expansão das indústrias automobilísticas, o Fordismo diminuiu o número de problemas que afetavam a qualidade do produto a ser comercializado, produção em massa. Cada funcionário tinha uma funças rápida e fazia somenta aquela função, e os defeitos eram observados somento depois do produto final. Produzir em excesso.

3-Em relação a economia , como funcionava o liberalismo clássico? o governo nacional tem como característica a democracia, mantiam um alto número de empregos na economia, e supervisionavam as classes de vida e de trabalho nas indústrias.

4- Quais as principais características da teoria Keynesiana ? revisar as teorias liberais lançadas pelo teórico Adam Smith, principalmente, no que se refere às novas configurações assumidas pela economia capitalista. observação dos níveis de consumo e investimento do governo, das empresas e dos próprios consumidores. Partindo desse princípio, a doutrina keynesiana aponta que no momento em que as empresas tendem a investir menos, inicia-se todo um processo de retração econômica que abre portas para o estabelecimento de uma crise.

5- Explique a produção enxuta da Toyota : Produção sem exageros, sobras ou excesso. Produção feita por encomendas e não feitas em massa para sobrarem até serem estocadas. A matéria prima é também selecionada de acordo com a produção. o próprio consumidor escolha seu produto.

5- 6- Quais as principais características do Taylorismo? Conceber meios para que a capacidade produtiva dos homens e máquinas atingisse seu patamar máximo. O treinamento, a especialização e o controle seriam as ferramentas básicas que concederiam a interferência positiva na produtividade da indústria.

Marianna Cristina Siqueira de Oliveira Nº:23 Série:2ºA

Anônimo disse...

Nome: Bárbara Sandri Silvestre (04)
Série: 2 ano A

1- A combinação entre a demanda fabril e o conhecimento aprimorado em laboratórios foi de enorme importância para que conseguissemos enxergar como foi possível a instalação desse novo ritmo de produção e consumo. Entretanto, a simples concepção de novos equipamentos não pode ser suficiente para que tenhamos uma noção mais ampla sobre o processo deindustrialização. Devemos também salientar que outras interferências nas formas de trabalho e na política administrativa das indústrias também tiveram grande importância. Nesse sentido, a racionalização das atividades industriais garantiu a ampliação dos lucros e o sucesso comercial de uma empresa. Por muito tempo, os problemas ocorridos durante o processo de fabricação encareciam o valor final do produto e limitava o potencial produtivo de uma indústria.

2- Idealizado pelo empresário estadunidense Henry Ford (1863-1947), fundador da Ford Motor Company, o Fordismo é um modelo de produção em massa que revolucionou a indústria automobilística na primeira metade do século XX. Ford utilizou à risca os princípios de padronização e simplificação de Frederick Taylor e desenvolveu outras técnicas avançadas para a época. Suas fábricas eram totalmente verticalizadas. Ele possuia desde a fábrica de vidros, a plantação de seringueiras, até a siderúrgica. Ford criou o mercado de massa para os automóveis. Sua obsessão foi atingida: tornar o automóvel tão barato que todos poderiam comprá-lo.

3- Liberalismo clássico é uma forma de defender as liberdades individuais, igualmente perante a lei. Assim sendo, é a fusão do liberalismo econômico com liberalismo político do final do século XVIII e século XIX. Onde o governo nacional tinha a obrigação de manter altos níveis de emprego na economia, supervisionar os padrões de vida e trabalho, regular os métodos de competição empresarial e de estabelecer padrões compreensivos de segurança social

4- A teoria keynesiana tem como ponto fundamental revisar as teorias liberais lançadas pelo teórico Adam Smith, principalmente, no que se refere às novas configurações assumidas pela economia capitalista. Segundo o pensamento keynesiano, a premissa fundamental para se compreender uma economia encontrava-se na simples observação dos níveis de consumo e investimento do governo, das empresas e dos próprios consumidores. Partindo desse princípio, a doutrina keynesiana aponta que no momento em que as empresas tendem a investir menos, inicia-se todo um processo de retração econômica que abre portas para o estabelecimento de uma crise.

5-Ao contrário do sistema anterior, essa outra concepção de produção delega aos funcionários a ação de obter pela melhor maneira de exercer o seu trabalho. Com isso, o trabalhador deve ser capacitado, para qualificar suas habilidades e competências, que antes não eram necessárias. Dessa forma, os fábricas investem na melhoria dos funcionários, dentro e fora das indústrias. Como por exemplo, a Toyota, ao adotar a concepção "enxuta" e rompendo com a produção em série, possibilitou oferecer um produto personalizado ao consumidor. As ferramentas utilizadas eram de acordo com cada proposta demandada pelo cliente. Inclusive, passou a produzir automóveis com larga escala de cores, sem gerar custos adicionais.

6- Taylorismo propunha uma intensificação da divisão do trabalho, ou seja, fracionar as etapas do processo produtivo de modo que o trabalhador desenvolvesse tarefas ultra-especializadas e repetitivas. Diferenciando o trabalho intelectual do trabalho manual. Fazendo um controle sobre o tempo gasto em cada tarefa e um constante esforço de racionalização, para que a tarefa seja executada num prazo mínimo. Portanto, o trabalhador que produzisse mais em menos tempo receberia prêmios como incentivos.

Anônimo disse...

Tainá Cristine
2ºC
nº 38

1 - a fabricação em série implicou na queda da qualidade dos veículos, A popularização do veículo particular estimulou as pesquisas para o aprimoramento e melhorias de rendimento (aumento de aceleração, velocidade, capacidade de carga) o que se traduziu no surgimento de novos problemas (freios, perfis mais aerodinâmicos, necessidade de tornar mais leve o peso. Assim, as montadoras iniciaram a corrida para oferecer novidades e captar clientes.

2- As principais características são: produção e consumo em massa, extrema especialização do trabalho, rígida padronização da produção e linha de montagem.

3 - Liberalismo clássico era uma forma de liberalismo que defendia as liberdades individuais, igualdade perante a lei, limitação constitucional do governo, direito de propriedade, direitos naturais, proteção das liberdades civis e restrições fiscais ao governo.

4 - O objetivo do keynesianismo era manter o crescimento da demanda em paridade com o aumento da capacidade produtiva da economia, de forma suficiente para garantir o pleno emprego, mas sem excesso, pois isto provocaria um aumento da inflação.

5 – A produção procura otimizar a organização de forma a atender as necessidades do cliente no menor prazo possível, na mais alta qualidade e ao mais baixo custo, ao mesmo tempo em que aumenta a segurança e o moral de seus colaboradores, envolvendo e integrando não só manufatura, mas todas as partes da organização. A proposta é de que o próprio consumidor escolha seu produto. O estabelecimento ou a fábrica deixa de "empurrar" a mercadoria para o cliente, para que este a "puxe" de acordo com as suas próprias necessidades.

6 - Divisão das tarefas de trabalho dentro de uma empresa, especialização do trabalhador, adoção de métodos para diminuir a fadiga e os problemas de saúde dos trabalhadores, implantação de melhorias nas condições e ambientes de trabalho, uso de métodos padronizados para reduzir custos e aumentar a produtividade, criação de sistemas de incentivos e recompensas salariais para motivar os trabalhadores e aumentar a produtividade, disciplina na distribuição de atribuições e responsabilidades.

Anônimo disse...

Juliana Labes Reiser (18) 2ºA EM

1 – Existiam alguns problemas que limitavam a produção das indústrias, entre eles o fato de que cada parte da fabricação era responsabilidade de um funcionário, mas nesse meio tempo a mão de obra de um operário era desperdiçada no período em que esperava pela conclusão da tarefa de outro operário.

2 – No Fordismo foi criada a linha de produção, que consistia em uma esteira rolante que movimentava o produto a ser fabricado. Cada operário trabalhava em uma pequena parcela da montagem do produto.

3 – O liberalismo clássico era uma doutrina econômica em que se defendia a ideia de que o desenvolvimento econômico de um país está associado à não-intervenção do Estado na economia.

4 – A teoria Keynesiana dizia que no momento em que as empresas passam a investir menos, a economia começa a retroceder, por esse motivo os governos teriam que aplicar grandes quantidades de capital em investimentos, para assim aquecer a economia.

5 – O termo enxuta no Toyotismo designa uma produção onde todo o trabalho é feito em equipes, desde a montagem até a resolução de problemas, não há mais individualidade.

6 - As principais características do Taylorismo eram o treinamento, a especialização e o controle, ou seja, ferramentas básicas para que as indústrias crescessem de forma positiva.

Anônimo disse...

Yasmim Benevides - n 33 2º A


1 - A substituição da mão-operária pelas máquinas fez com que aumentasse o desemprego em escala mundial, inclusive nos países desenvolvidos economicamente.
2 – O Fordismo trata-se de uma forma de racionalização da produção capitalista baseada em inovações técnicas e organizacionais que se articulam tendo em vista, de um lado a produção em massa e, do outro, o consumo em massa. Henry Ford fazia os automóveis tão baratos que todos poderiam compra-lo. Aperfeiçoou a linha de montagem, facilitando com esteiras rolantes.
3 – Os liberais lutavam para aumentar os poderes das classes comerciais e abolir as cartas reais, monopólios, e politicas protecionistas de mercantilismo tudo para encorajar empreendedorismo e aumentar a eficiência produtiva. Eles também esperavam que a democracia e a economia liberalista nacional diminuísse as guerras.
4 - Manter o crescimento da demanda em paridade com o aumento da capacidade produtiva da economia, de forma suficiente para garantir o pleno emprego, mas sem excesso, pois isto provocaria um aumento da inflação.
5 - No Sistema Toyota de Produção, os lotes de produção são pequenos, permitindo uma maior variedade de produtos. Os trabalhadores são multifuncionais, ou seja, conhecem outras tarefas além de sua própria e sabem operar mais que uma única máquina, e a preocupação com a qualidade do produto é extrema.
6 - Divisão das tarefas de trabalho dentro de uma empresa, especialização do trabalhador, treinamento e preparação dos trabalhadores de acordo com as aptidões apresentadas, análise dos processos produtivos dentro de uma empresa como objetivo de otimização do trabalho, adoção de métodos para diminuir a fadiga e os problemas de saúde dos trabalhadores, implantação de melhorias nas condições e ambientes de trabalho, uso de métodos padronizados para reduzir custos e aumentar a produtividade, criação de sistemas de incentivos e recompensas salariais para motivar os trabalhadores e aumentar a produtividade, uso de supervisão humana especializada para controlar o processo produtivo, disciplina na distribuição de atribuições e responsabilidades, uso apenas de métodos de trabalho que já foram testados e planejados para eliminar o improviso.

Anônimo disse...

Victoria Pezzini n 31 - 2º A

1 – Com a substituição da mão-de-obra operária pelas máquinas, houve a geração de desemprego no mundo todo, principalmente nos países mais desenvolvidos
2 – O Fordismo é uma forma de racionalização da produção capitalista baseada em inovações técnicas e organizacionais que se articulam tendo de um lado a produção em massa e, do outro, o consumo em massa. Henry Ford fazia os automóveis tão baratos que todos poderiam compra-lo e também facilitou a linha de montagem com esteiras rolantes.
3 – Os liberais esperavam que a democracia e a economia liberalista nacional diminuísse as guerras, lutavam para aumentar os poderes das classes comerciais e abolir as cartas reais, monopólios, e politicas protecionistas de mercantilismo tudo para encorajar empreendedorismo e aumentar a eficiência produtiva.
4 - Manter o crescimento da demanda em paridade com o aumento da capacidade produtiva da economia, de forma suficiente para garantir o pleno emprego, mas sem excesso, pois isto provocaria um aumento da inflação.
5 - Os trabalhadores são multifuncionais, e a preocupação com a qualidade do produto é extrema. No Sistema Toyota de Produção, os lotes de produção são pequenos, permitindo uma maior variedade de produtos.
6 - Uso de supervisão humana especializada para controlar o processo produtivo, adoção de métodos para diminuir a fadiga e os problemas de saúde dos trabalhadores, divisão das tarefas de trabalho dentro de uma empresa, especialização do trabalhador, análise dos processos produtivos dentro de uma empresa como objetivo de otimização do trabalho, implantação de melhorias nas condições e ambientes de trabalho,treinamento e preparação dos trabalhadores de acordo com as aptidões apresentadas, uso de métodos padronizados para reduzir custos e aumentar a produtividade, criação de sistemas de incentivos e recompensas salariais para motivar os trabalhadores e aumentar a produtividade, disciplina na distribuição de atribuições e responsabilidades, uso apenas de métodos de trabalho que já foram testados e planejados para eliminar o improviso.

Anônimo disse...

1-Cada operário exercia sua função, porém em muitos casos o seu trabalho se torna repetitivo e cansativo, alem de também ser um método mais eficaz, mas ele se tornava cada vez mais enjoativo.

2-As principais características do fordismo foram a redução de custos de produção, a venda para inúmeros e maior número possível de consumidores e é claro o barateamento do produto.

3-Funcionava e tinha como base a defesa da ideia de que o desenvolvimento econômico de uma nação estaria atrelado a um princípio de não-intervenção do Estado na economia.

4-A teoria Keynesiana tinha como princípio onde o ciclo econômico não é auto regulado.Tem como teoria conceder benefícios que pelo menos darão um padrão mínimo de vida a população.

5-A produção enxuta da Toyota, se baseia na mão de obra bem qualificada, sistema flexível, entre outros.

6-Taylorismo teve como principais características a redução de custos, incentivos salariais e outros como a prêmios de produção.

Luís Paulo Hemmer nº30

Anônimo disse...

FERNANDA SANNA Nº 09 2ºB

01- Novas máquinas não pode ser suficiente para que tenhamos uma noção mais ampla sobre o processo de produção na era industrial. Por muito tempo, os problemas ocorridos durante o processo de fabricação encareciam o valor final do produto e limitava o potencial produtivo de uma indústria. Em outras situações, a mão de obra de um operário era desperdiçada no tempo em que esperava pela conclusão da tarefa de outro funcionário.

02- linha de produção/esteira rolante

03- liberalismo clássico,doutrina econômica onde se defendia a ideia de que o desenvolvimento econômico de uma nação estaria atrelado a um princípio de não-intervenção do

04- observação dos níveis de consumo e investimento do governo, das empresas e dos próprios consumidores.

05- melhorar a qualidade não diminuiria a produtividade. Consumidor escolhia o produto. trabalhador deve ser capacitado

06- conceber meios para que a capacidade produtiva dos homens e máquinas atingisse seu patamar máximo. O treinamento, a especialização e o controle seriam as ferramentas básicas que concederiam a interferência positiva na produtividade da indústria.

Anônimo disse...

1- O processo de produção com a introdução das máquinas não trouxe o resultado esperado.Explique as causas e consequências que ocorriam no processo de produção: Com a Revolução industrial a máquina foi cada vez mais superando o trabalho humano, causando indignação aos trabalhadores, artesãos. A causa da inovação no processo de produção se deve ao liberalismo econômico, acumulações de capital e as invenções e transportes e novas máquinas. A consequência foi o aumento do consumo e consequentemente a produção em massa.

2- Quais as principais características do Fordismo? reduzir ao máximo os custos de produção e assim diminuir o custo do produto, podendo vender para o maior número possível de consumidores. Cada funcionário executava uma pequena etapa diante de uma esteira rolante, que no caso da Ford, eram os automóveis.
3-Em relação a economia , como funcionava o liberalismo clássico? Sustenta que o indivíduo é mais importante do que o coletivo, onde todo indivíduo importa e todo indivíduo merece respeito. A melhor pessoa para satisfazer os interesses dos indivíduos é o próprio indivíduo. Igualdade perante a lei. As pessoas devem ser tratadas da mesma maneira, independente de sua raça, gênero, religião, classe social ou orientação sexual. Opõe à ideia de que as leis devem tratar brancos e negros de maneira distinta.

4- Quais as principais características da teoria Keynesiana ? Manter o crescimento da demanda em paridade com o aumento da capacidade produtiva da economia, de forma suficiente para garantir o pleno emprego, mas sem excesso, pois isto provocaria um aumento da inflação. Acreditava que a economia seguiria o caminho do pleno emprego, sendo o desemprego uma situação temporária que desapareceria graças às forças do mercado.

5- Explique a produção enxuta da Toyota : Produção enxuta que também seria o contrário da produção em massa de Henry Ford, é a produção sobre encomenda, os produtos são feitos a partir de encomendas, e sua matéria prima é também conseguida de forma enxuta, ou seja, sem exageros. Consequentemente sem sobras e sem estoques. Menos prejuízo, mais lucro e maior qualidade do produto.
6- Quais as principais características do Taylorismo? È isolar uma certa tarefa da produção, escolher um trabalhador modelo que melhor executa a função. Cronometram o tempo de trabalho e os movimento desse trabalhador e depois aperfeiçoam seu espaço de trabalho, com o objetivo de diminuir o tempo de produção.

Jurandir Coelho Júnior Nº:19 Série:2ºA Grupo: As pampa

Anônimo disse...

Nome: Rômulo N:36 2C

1- Com a aquisição de novas maquinas, não resolveram os problemas de produção pois havia outras interferências nas formas de trabalho e na política administrativa das indústrias também tiveram grande importância. Por muito tempo, os problemas ocorridos durante o processo de fabricação encareciam o valor final do produto e limitava o potencial produtivo de uma indústria.

2- *Defeito nos produtos só eram identificados no final da linha de produção
*A empresa fabricava muitas das peças que compunham o seu produto
*Para não falta peças, estas eram produzidas em excesso, gerando estoque
*O operário-modelo era aquele que melhor obedecia às diretrizes de seus superiores
*O funcionário devia apenas se preocupar apenas com tarefas imediatas
*A empresa devia executar os projetos feitos pelos seus engenheiros

3- O liberalismo clássico é o pensamento democrático, onde regula métodos de competição empresarial e estabelece padrões compreensivos de segurança social.

4- É uma teoria alegando que a política econômica vigente não surtiria melhoras, relacionando-a ao período crítico, e propôs uma nova organização econômica. Keynes alegava que o Estado tinha que intervir na economia através de uma política em que o nível de produção nacional seria determinado pela demanda agregada ou afetiva. Ou seja: a demanda geraria a oferta. Os estadistas seguiram a teoria de Keynes e a economia se desenvolveu.

5- A proposta do toyotismo é que o próprio consumidor escolha seu produto. Invés de fazer produções em massas, ele deixa que o consumidor encomende de acordo com suas próprias necessidades.

6- Racionalização da produção.
- Economia de mão-de-obra.
- Aumento da produtividade no trabalho.
- Corte de “gestos desnecessários de energia” e de “comportamentos supérfluos” por parte do trabalhador.
- Acabar com qualquer desperdício de tempo.

Anônimo disse...

1- Devemos também salientar que outras interferências nas formas de trabalho e na política administrativa das indústrias também tiveram grande importância. Nesse sentido, a racionalização das atividades industriais garantiu a ampliação dos lucros e o sucesso comercial de uma empresa.
Por muito tempo, os problemas ocorridos durante o processo de fabricação encareciam o valor final do produto e limitava o potencial produtivo de uma indústria. Concomitantemente, para que um bem fosse fabricado, vários funcionários se reuniam e desempenhavam funções aleatórias que limitavam o aperfeiçoamento técnico de cada trabalhador. Em outras situações, a mão de obra de um operário era desperdiçada no tempo em que esperava pela conclusão da tarefa de outro funcionário.
Tentando solucionar esse problema, o empresário norte-americano Henry Ford estabeleceu um eficiente modelo desenvolvido segundo as necessidades de expansão da indústria automobilística. Para tanto, concebeu a chamada linha de produção. Essa linha era composta por uma esteira rolante que movimentava o produto fabricado. A cada movimento, um operário desempenhava uma pequena parcela da montagem do produto industrial.
2-* defeitos só eram identificados no final da linha de reprodução,
*a empresa fabricava muitas das peças que compunham o seu produto,
*para não faltar peças, estas eram produzidas em excesso, gerando estoques,
* o operário-modelo era aquele que melhor obedecia ás diretrizes de seus superiores,
*o funcionário devia se preocupar apenas com as tarefas imediatas,
*a empresa devia executar os projetos feitos pelos seus engenheiros.

3-A doutrina keynesiana é uma teoria econômica que ganhou destaque no início da década de 1930, no momento em que o capitalismo vivia uma de suas mais graves crises. Nesta época, as nações capitalistas geriam o campo econômico com base nas teorias estabelecidas por liberalismo clássico,doutrina econômica onde se defendia a ideia de que o desenvolvimento econômico de uma nação estaria atrelado a um princípio de não-intervenção do Estado na economia.

4-o keynesianismo defende a necessidade do Estado em buscar formas para se conter o desequilíbrio da economia. Entre outras medidas, os governos deveriam aplicar grandes remessas de capital na realização de investimentos que aquecessem a economia de modo geral. Paralelamente, era de fundamental importância que o governo também concedesse linhas de crédito ao baixo custo, garantido a realização de investimentos do setor privado.
5-Em uma fábrica "enxuta" todo o trabalho é feito por equipes. Quando um problema aparece, toda a equipe é responsável. Quando ocorre um defeito na montagem de uma peça, a equipe de montagem se organiza na busca de maneiras de resolver o problema. Há uma cobrança entre os pares para que cada membro atue de uma maneira que não prejudique os companheiros. Algumas fábricas delegam à equipe a função de demitir ou aceitar novos funcionários.
6- * os operários interrompem a produção a qualquer momento para consertar falhas
*A maioria das peças é feita por outras campanhas, os fornecedores
*o estoque é mínimo. Os fornecedores que entregam as peças quando a companhia as solicita
*o operário-modelo é aquele que identifica problemas e propõe soluções
*o funcionário deve se preocupar com a aplicação que o produto terá depois de vendido
*a empresa deve planejar a produção de modo a atender aos desejos e seus clientes


Heloisa Kleis Schmitz 2°C n°:23

Anônimo disse...

Nome: Maria Eduarda da Silva, Nº: 24, Série: 2ºB.

1- O trabalho industrial foi fragmentado, pois cada trabalhador passou a exercer uma atividade específica no sistema industrial. A organização foi hierarquizada e sistematizada, e o tempo de produção passou a ser cronometrado. Com isso, aumenta a produtividade de trabalho das empresas.
2- Ford aplica os conceitos de Taylor em sua linha de montagem, exigindo a máxima produtividade uma vez que o trabalho estava fragmentado e que cada operário realizaria uma tarefa específica e repetitiva. Desta forma foi exigido cada vez mais do trabalhador. Uma vez definido que o trabalhador não precisa mais possuir habilidades maiores do que aquelas exigidas por uma determinada posição na linha de montagem, o seu salário tende a decrescer na mesma proporção em que estas tarefas são simplificadas neste processo. Não há mais a valorização do profissional que dominava o processo produtivo. A alienação do homem com relação ao seu trabalho permite que o capitalista dite as regras deste jogo e imponha os valores a serem pagos na forma de salário ao trabalhador. Uma vez que o segmento operacional não detém conhecimento dos processos produtivos, ele é facilmente substituível, tornando o operário uma "peça da engrenagem" no sistema de produção.
3- Liberalismo pode ser definido como um conjunto de princípios e teorias políticas, que apresenta como ponto principal a defesa da liberdade política e econômica. Neste sentido, os liberais são contrários ao forte controle do Estado na economia e na vida das pessoas. Podemos citar como princípios básicos do liberalismo: Defesa da propriedade privada; Liberdade econômica (livre mercado); Mínima participação do Estado nos assuntos econômicos da nação (governo limitado); Igualdade perante a lei (estado de direito).
4- Conjunto de idéias que propunham a intervenção estatal na vida econômica com o objetivo de conduzir a um regime de pleno emprego. As teorias de John Maynard Keynes tiveram enorme influência na renovação das teorias clássicas e na reformulação da política de livre mercado. Acreditava que a economia seguiria o caminho do pleno emprego, sendo o desemprego uma situação temporária que desapareceria graças às forças do mercado.
5- O Sistema Toyota de Produção surgiu no Japão, na fábrica de automóveis Toyota, logo após a Segunda Guerra Mundial. Sendo que já existia durante a guerra, fabricando caminhões para ela. Naquela época a indústria japonesa tinha uma produtividade muito baixa e uma enorme falta de recursos, o que a impedia de adotar o modelo da produção em massa. A criação do Sistema Toyota de Produção se deve, principalmente, a quatro pessoas: O fundador da Toyota e mestre de invenções, Sakichi Toyoda, seu filho Kiichiro Toyoda, primo de Eiji Toyoda que participou como o executivo impulsionador do nascimento do STP (Sistema Toyota de Produção) e o engenheiro chefe da Toyota Motors Company, o chinês Taiichi Ohno. O sistema objetiva aumentar a eficiência da produção pela eliminação contínua de desperdícios. No Sistema Toyota de Produção, os lotes de produção são pequenos, permitindo uma maior variedade de produtos. Exemplo: em vez de produzir um lote de 50 sedans brancos, produz-se 10 lotes com 5 veículos cada, com cores e modelos variados.
6- Principais características do Taylorismo: Divisão das tarefas de trabalho dentro de uma empresa; Especialização do trabalhador; Treinamento e preparação dos trabalhadores de acordo com as aptidões apresentadas; Análise dos processos produtivos dentro de uma empresa como objetivo de otimização do trabalho.

Anônimo disse...

Dora Carolina D. S. (16)
2°C

1-Por muito tempo, os problemas ocorridos durante o processo de fabricação encareciam o valor final do produto e limitava o potencial produtivo de uma indústria. Concomitantemente, para que um bem fosse fabricado, vários funcionários se reuniam e desempenhavam funções aleatórias que limitavam o aperfeiçoamento técnico de cada trabalhador. Em outras situações, a mão de obra de um operário era desperdiçada no tempo em que esperava pela conclusão da tarefa de outro funcionário.

2- Defeitos no produto só era identificadas no final da linha de produção, a empresa fabricava muitas das peças que compunham o seu produto, para não falta peças, estas eram produzidas em excesso, gerando estoques, o operário-modelo era aquele que melhor obedecia às diretrizes de seus superiores, o funcionário devia se preocupar apenas com as tarefas imediatas, a empresa devia executar os projetos feitos pelos seus engenheiros.

3- Liberalismo clássico é uma forma de liberalismo que defende as liberdades individuais, igualdade perante a lei, limitação constitucional do governo, direito de propriedade, direitos naturais, proteção das liberdades civis e restrições fiscais ao governo. Economicamente falando, o Estado não interferia na economia da população, ou seja, as empresas e fábricas produziam e vendiam seu produto, lucrando, sem a interferência estatal.

4- Segundo o pensamento keynesiano, a premissa fundamental para se compreender uma economia encontrava-se na simples observação dos níveis de consumo e investimento do governo, das empresas e dos próprios consumidores. Partindo desse princípio, a doutrina keynesiana aponta que no momento em que as empresas tendem a investir menos, inicia-se todo um processo de retração econômica que abre portas para o estabelecimento de uma crise.

Dessa maneira, para que essa situação fosse evitada, o keynesianismo defende a necessidade do Estado em buscar formas para se conter o desequilíbrio da economia. Entre outras medidas, os governos deveriam aplicar grandes remessas de capital na realização de investimentos que aquecessem a economia de modo geral. Paralelamente, era de fundamental importância que o governo também concedesse linhas de crédito ao baixo custo, garantido a realização de investimentos do setor privado.

Promovendo tais medidas de incentivo, os níveis de emprego aumentariam e consequentemente garantiriam que o mercado consumidor desse sustentação real a toda essa aplicação de recursos.

5- Os operários interrompem a produção a qualquer momento para consertar falhas, a maioria das peças é feita por outras companhias, os fornecedores. O estoque é mínimo. Os fornecedores entregam as peças quando a companhia solicita. O operário-modelo é aquele que identifica problemas e propõe soluções. O funcionário deve se preocupar com a aplicação que o produto terá depois de vendido. A empresa deve planejar a produção de modo a atender aos desejos de seus clientes.

6- Divisão das tarefas de trabalho dentro de uma empresa; especialização do trabalhador; treinamento e preparação dos trabalhadores de acordo com as aptidões apresentadas; análise dos processos produtivos dentro de uma empresa como objetivo de otimização do trabalho; adoção de métodos para diminuir a fadiga e os problemas de saúde dos trabalhadores; implantação de melhorias nas condições e ambientes de trabalho; uso de métodos padronizados para reduzir custos e aumentar a produtividade; criação de sistemas de incentivos e recompensas salariais para motivar os trabalhadores e aumentar a produtividade; uso de supervisão humana especializada para controlar o processo produtivo; disciplina na distribuição de atribuições e responsabilidades; uso apenas de métodos de trabalho que já foram testados e planejados para eliminar o improviso.

Anônimo disse...

Arthur Nivaldo da Silva nº 6
2ºC

1-Os problemas ocorridos durante o processo de fabricação encareciam o valor final do produto e limitava o potencial produtivo de uma indústria. Para que um bem fosse fabricado, vários funcionários se reuniam e desempenhavam funções aleatórias que limitavam o aperfeiçoamento técnico de cada trabalhador. Em outras situações, a mão de obra de um operário era desperdiçada no tempo em que esperava pela conclusão da tarefa de outro funcionário.

2- *Defeitos no produto só era identificadas no final da linha de produção
*a empresa fabricava muitas das peças que compunham o seu produto
*para não falta peças, estas eram produzidas em excesso, gerando estoques
*o operário-modelo era aquele que melhor obedecia às diretrizes de seus superiores
*o funcionário devia se preocupar apenas com as tarefas imediatas
*a empresa devia executar os projetos feitos pelos seus engenheiros

3- Liberalismo clássico é uma forma de liberalismo que defende as liberdades individuais, igualdade perante a lei, limitação constitucional do governo, direito de propriedade, direitos naturais, proteção das liberdades civis e restrições fiscais ao governo. Economicamente falando, o Estado não interferia na economia da população, ou seja, as empresas e fábricas produziam e vendiam seu produto, lucrando, sem a interferência do estado.

4- Segundo o pensamento keynesiano, a premissa fundamental para se compreender uma economia encontrava-se na simples observação dos níveis de consumo e investimento do governo, das empresas e dos próprios consumidores. Partindo desse princípio, a doutrina keynesiana aponta que no momento em que as empresas tendem a investir menos, inicia-se todo um processo de retração econômica que abre portas para o estabelecimento de uma crise.

Dessa maneira, para que essa situação fosse evitada, o keynesianismo defende a necessidade do Estado em buscar formas para se conter o desequilíbrio da economia. Entre outras medidas, os governos deveriam aplicar grandes remessas de capital na realização de investimentos que aquecessem a economia de modo geral. Paralelamente, era de fundamental importância que o governo também concedesse linhas de crédito ao baixo custo, garantido a realização de investimentos do setor privado.

Promovendo tais medidas de incentivo, os níveis de emprego aumentariam e consequentemente garantiriam que o mercado consumidor desse sustentação real a toda essa aplicação de recursos.

5-* Os operários interrompem a produção a qualquer momento para consertar falhas
*a maioria das peças é feita por outras companhias, os fornecedores
*O estoque é mínimo
*Os fornecedores entregam as peças quando a companhia solicita
*O operário-modelo é aquele que identifica problemas e propõe soluções
*O funcionário deve se preocupar com a aplicação que o produto terá depois de vendido
*A empresa deve planejar a produção de modo a atender aos desejos de seus clientes

6- *Divisão das tarefas de trabalho dentro de uma empresa;
*especialização do trabalhador;
*treinamento e preparação dos trabalhadores de acordo com as aptidões apresentadas;
*análise dos processos produtivos dentro de uma empresa como objetivo de otimização do trabalho;
*adoção de métodos para diminuir a fadiga e os problemas de saúde dos trabalhadores;
*implantação de melhorias nas condições e ambientes de trabalho;
*uso de métodos padronizados para reduzir custos e aumentar a produtividade;
*criação de sistemas de incentivos e recompensas salariais para motivar os trabalhadores e aumentar a produtividade;
* uso de supervisão humana especializada para controlar o processo produtivo;
*disciplina na distribuição de atribuições e responsabilidades;
*uso apenas de métodos de trabalho que já foram testados e planejados para eliminar o improviso.

Anônimo disse...

Awandye Guinho Reinert. N°08 2°C

1) Analisando o metodo de produção onde as máquinas tornaram-se alidas dos homens, pode-se concluir que, durante a produção de um bem, cada funcionário era responsável somente pela sua tarefa, não havendo assim, um aperfeiçoamento profissional. Ao final da profissão, havia o acúmulo de bens, encarecendo o preço do produto e fazendo com que houvesse um grande estoque de mercadoria.
2) O Fordismo constituia-se de uma esteira por onde o produto a ser fabricado era movimentado. Ao longo dessa esteira, cada funcionário realizava uma parte da produção do produto. As pricipais características eram: defeitos no produto só eram encontrados no final da produção; para não faltar peças, elas eram produzidas em grande escala; o funcionário devia se preocupar com a tarefa imediata.
3) O liberalismo clássico defende a igualdade perante a lei, onde todos deveriam receber o mesmo auxílio, os mesmos direitos.
4) A teoria Keynesiana defendia que o governo deveria interferir na economia, investindo mais, assim como as empresas, para não haver o estabelecimento de uma crise econômica.
5) O Toyotismo diferencia-se do Fordismo em alguns critérios. No Toyotismo, o produto era produzido de acordo com a necessidade do cliente, não gerando estoques dessa forma; havia maior economia de matéria prima; os funcionários paravam a produção para identificar falhas; havia um menor acúmulo de matérias e estoque.
6) O taylorismo caracteriza-se pela ênfase nas tarefas, objetivando o aumento da eficiência ao nível operacional.

Anônimo disse...

Iara Rosa n°14 2°ano B


1 -Os problemas ocorridos durante o processo de fabricação encareciam o valor final do produto e limitava o potencial produtivo de uma indústria. Em outras situações, a mão de obra de um operário era desperdiçada no tempo em que esperava pela conclusão da tarefa de outro funcionário.
2-Aumentava a produção, eram lentos na locomoção, baixos preços ajudavam no aumento e crescimento das vendas dos automóveis.
3- Onde o governo nacional tinha a obrigação de manter altos níveis de emprego na economia, supervisionar os padrões de vida e trabalho, regular os métodos de competição empresarial e de estabelecer padrões compreensivos de segurança social
4- A idéia principal era produzir somente o necessário, reduzindo os estoques, produzindo em pequenos lotes, com a máxima qualidade, trocando a padronização pela diversificação e produtividade. As relações de trabalho também foram modificadas, pois agora o trabalhador deveria ser mais qualificado, participativo e polivalente, ou seja, deveria estar apto a trabalhar em mais de uma função.
5- Consiste numa organização político-econômica, oposta às concepções neoliberalistas, fundamentada na afirmação do Estado como agente indispensável de controle da economia, com objetivo de conduzir a um sistema de pleno emprego. Tais teorias tiveram uma enorme influência na renovação das teorias clássicas e na reformulação da política de livre mercado.
6-O trabalho industrial foi fragmentado, pois cada trabalhador passou a exercer uma atividade específica no sistema industrial. A organização foi hierarquizada e sistematizada, e o tempo de produção passou a ser cronometrado. Com isso, aumenta a produtividade de trabalho das empresas.

Anônimo disse...

1- Cada trabalhador começou a se “especializar” em uma determinada função, cada trabalhador fazia a tarefa e apenas aquela tarefa. Como no sistema fordista, era uma empresa vertical (tudo pertencia ao mesmo dono) o poder estava centralizado. Com todas essas mudanças aumentou a produção e os produtos eram feitos com mais velocidade.
2- O Fordismo tem como principal característica a produção em massa. Com uma grande esteira o produto passa e cada pessoa tem uma função especifica, o fordismo era baseado em produção em massa, mas para isso é preciso que haja consumo em massa. Outra característica era a velocidade de produção.
3- Pensamento democrático, o governo tinha de manter altos níveis de emprego na economia, supervisionar os padrões de vida e de trabalho.
4- Ela defende a ideia de que o ciclo econômico não é regulador; a economia não é capaz de alcançar níveis ótimos de produção e emprego sem a intervenção do Estado. Outra ideia defendida pelo sistema é que a renda do sistema é dada a partir dos níveis de consumo dos agentes e que a oferta se ajusta a demanda.
5- Produção enxuta, “just in time”, não tem espaço rural, nem matéria prima. Melhorar a qualidade não diminuiria a produtividade. Ao contrário do sistema de massa, essa outra concepção de produção delega aos trabalhadores a ação de escolher qual a melhor maneira de exercerem seus trabalhos, assim eles têm a chance de inovar no processo de produção.
6- Era cada vez mais diminuir o tempo gasto, era então tudo cronometrado (acabar com o desperdício), os trabalhadores eram divididos, aqueles com força nos quais poderiam facilmente ser substituídos e os que esperto/intelectuais que eram indispensáveis.
Nome: Maria Eduarda Oliveira de Lima Nº: 25
Série: 2ºB

Anônimo disse...

Nome: Lucas Orsi de Borba
Numero 21
Serie 2 ano EM

1-O homem que criou a maquina e a mesma roubou o espaço do homem, gerando desemprego para muitos.
2-Produçao em serie, linhas de produção, esteira rolante onde cada operário desempenhava uma pequena parcela da montagem. Defeitos eram identificados somente no final da produção, a empresa fabricava peças que iria usar e tinha estoque. Produção nunca vista antes e lucros absurdos. Funcionário modelo àquele que respeitava seus superiores.
3-O liberalismo clássico que defende as liberdades individuais, igualdade perante a lei, limitação constitucional do governo, direito de propriedade, direitos naturais, proteção das liberdades civis e restrições fiscais ao governo.
4-Atribuiu ao Estado o direito e o dever de conceder benefícios sociais que garantam à população um padrão mínimo de vida como a criação do salário-mínimo, do salário-desemprego, da redução da jornada de trabalho (que então superava 12 horas diárias) e assistência médica gratuita. Conter o desequilíbrio econômico.
5-Produção: clean, magra, sem gordura. Devido operários interromper a produção a qualquer momento para concertar falhas. E a produção não é mais em serie, possibilitou oferecer um produto personalizado e com qualidade total.
6-Tudo muito sistematizado há racionalização da produção, cada funcionário se especializava em uma única função. Produção rápida, salários dobravam e lucros ficaram exorbitantes. Separado quem usa força (descartável menos valorizado) e quem usa a psicologia.

Anônimo disse...

Nome: Pedro E.
Série: 2B
Número: 31

1- Por muito tempo, os problemas ocorridos durante o processo de fabricação encareciam o valor final do produto e limitava o potencial produtivo de uma indústria. Concomitantemente, para que um bem fosse fabricado, vários funcionários se reuniam e desempenhavam funções aleatórias que limitavam o aperfeiçoamento técnico de cada trabalhador. Em outras situações, a mão de obra de um operário era desperdiçada no tempo em que esperava pela conclusão da tarefa de outro funcionário.

2-Esteira rolante, divasão de etapas para aumentar a velocidade de produção, empresa vertical e fábrica grande, onde entra matéria prima de um lado e sai o produto do outro.

3-liberalismo clássico, doutrina econômica onde se defendia a ideia de que o desenvolvimento econômico de uma nação estaria atrelado a um princípio de não-intervenção do Estado na economia.

4-é uma teoria econômica que ganhou destaque no início da década de 1930, no momento em que o capitalismo vivia uma de suas mais graves crises. A proposta keynesiana tem como ponto fundamental revisar as teorias liberais lançadas pelo teórico Adam Smith, principalmente, no que se refere às novas configurações assumidas pela economia capitalista.

5-O toyotismo tinha uma ideia diferente do fordimo onde só comprava o que ia usar e de produzir o necessário.

6-Foi um engenheiro mecânico que mostrou um novo modo de administração trazando mais lucro para a empresa. Visava muito o controle, o planejamento, o preparo e a execução do trabalho.

Anônimo disse...

CAMILA - 4 2B PARTE 1

1)O século XVIII foi marcado pelo grande salto tecnológico nos transportes e máquinas. As máquinas à vapor, principalmente os gigantes teares, revolucionou o modo de produzir. Se por um lado a máquina substituiu o homem, gerando milhares de desempregados, por outro baixou o preço de mercadorias e acelerou o ritmo de produção.

As fábricas do início da Revolução Industrial não apresentavam o melhor dos ambientes de trabalho. As condições das fábricas eram precárias. Eram ambientes com péssima iluminação, abafados e sujos. Os salários recebidos pelos trabalhadores eram muito baixos e chegava-se a empregar o trabalho infantil e feminino. Os empregados chegavam a trabalhar até 18 horas por dia e estavam sujeitos a castigos físicos dos patrões. Não havia direitos trabalhistas como, por exemplo, férias, décimo terceiro salário, auxílio doença, descanso semanal remunerado ou qualquer outro benefício. Quando desempregados, ficavam sem nenhum tipo de auxílio e passavam por situações de precariedade.

Por outro lado, aumentou também o número de desempregados. As máquinas foram substituindo, aos poucos, a mão-de-obra humana. A poluição ambiental, o aumento da poluição sonora, o êxodo rural e o crescimento desordenado das cidades também foram conseqüências nocivas para a sociedade.

2)*modelo de produção automobilística em massa;
*criado por henry ford;
*buscava o aumento de produção pelo aumento de eficiência e baixar o preço do produto;
*introdução das linhas de montagem na qual cada operário ficava em um determinado local realizando uma tarefa específica, enquanto as peças de deslocavam por uma esteira.
*cada operário se especializava em certa parte da produção

3)É a eliminação de interferências provenientes de qualquer meio na economia, uma forma de liberalismo que defende as liberdades individuais, igualdade perante a lei, limitação constitucional do governo, direito de propriedade, direitos naturais, proteção das liberdades civis e restrições fiscais ao governo. Defendia a idéia de que o desenvolvimento econômico de uma nação estaria atrelado a um princípio de não-intervenção do Estado na economia.

Os liberais clássicos pregavam políticas para aumentar a liberdade e a prosperidade. Eles lutavam para aumentar os poderes das classes comerciais e abolir as cartas reais, monopólios, e políticas protecionistas de mercantilismo tudo para encorajar empreendedorismo e aumentar a eficiência produtiva. Eles também esperavam que a democracia e a economia laissez-faire diminuíssem as guerras.

Anônimo disse...

CAMILA - 4 2B PARTE 2

4):* Conjunto de idéias que propunham a intervenção estatal na vida econômica com o objetivo de conduzir a um regime de pleno emprego.
* revisar as teorias liberais lançadas pelo teórico Adam Smith, principalmente, no que se refere às novas configurações assumidas pela economia capitalista;
* aponta que no momento em que as empresas tendem a investir menos, inicia-se todo um processo de retração econômica que abre portas para o estabelecimento de uma crise.
* defende a necessidade do Estado em buscar formas para se conter o desequilíbrio da economia;
O objetivo do keynesianismo era manter o crescimento da demanda em paridade com o aumento da capacidade produtiva da economia, de forma suficiente para garantir o pleno emprego, mas sem excesso, pois isto provocaria um aumento da inflação.

5)O sistema objetiva aumentar a eficiência da produção pela eliminação contínua de desperdícios. no Sistema Toyota de Produção, os lotes de produção são pequenos, permitindo uma maior variedade de produtos. Exemplo: em vez de produzir um lote de 50 sedans brancos, produz-se 10 lotes com 5 veículos cada, com cores e modelos variados. Os trabalhadores são multifuncionais, ou seja, conhecem outras tarefas além de sua própria e sabem operar mais que uma única máquina. No Sistema Toyota de Produção a preocupação com a qualidade do produto é extrema. Foram desenvolvidas diversas técnicas simples mas extremamente eficientes para proporcionar os resultados esperados, como o Kanban e o Poka-Yoke. Assim, nesse período passou-se a utilizar o trabalho em equipe e a encomenda (produto personalizado) para clientes, diminuindo os desperdícios. A base de sustentação do Sistema Toyota de Produção é a absoluta eliminação do desperdício e os dois pilares necessários à sustentação é o Just-in-time e a Autonomação.

6)*buscava um método científico de organização de trabalho;
*criado por frederick w. taylor;
*cada operário se especializava em certa parte da produção;
*organização foi hierarquizada e sistematizada, e o tempo de produção passou a ser cronometrado.;
*buscava a eficiência e produtividade
*ênfase nas tarefas, Acabar com qualquer desperdício de tempo.
*planejamento > seleção > controle > execução;
*- Racionalização da produção.

Anônimo disse...


Lucas reiser - 2°B
1- o trabalho industrial foi fragmentado, pois cada trabalhador passou a exercer uma atividade específica no sistema industrial. A organização foi hierarquizada e sistematizada, Com isso, aumenta a produtividade de trabalho das empresas.
2- Aumentava a produção, eram lentos na locomoção, baixos preços ajudavam no aumento e crescimento das vendas dos automoveis.
3- onde o governo nacional tinha a obrigação de manter altos níveis de emprego na economia, supervisionar os padrões de vida e trabalho, regular os métodos de competição empresarial.
4- A idéia principal era produzir somente o necessário, reduzindo os estoques, produzindo em pequenos lotes, com a máxima qualidade, trocando a padronização pela diversificação e produtividade. As relações de trabalho também foram modificadas, pois agora o trabalhador deveria ser mais qualificado, participativo e polivalente, ou seja, deveria estar apto a trabalhar em mais de uma função.
5- consiste numa organização político-econômica, oposta às concepções neoliberalistas, fundamentada na afirmação do Estado como agente indispensável de controle da economia, com objetivo de conduzir a um sistema de pleno emprego. Tais teorias tiveram uma enorme influência na renovação das teorias clássicas e na reformulação da política de livre mercado.
6- A principal característica deste sistema é a organização e divisão de tarefas dentro de uma empresa com o objetivo de obter o máximo de rendimento e eficiência com o mínimo de tempo e atividade.

Anônimo disse...

Nome: Pedro Cardoso de Sales Filho Nº32 Turma:2ºB

1- O processo de produção em relação às maquinas não trouxe o resultado esperado, pois durante os processos de fabricação o produto encarecia no valor final, a estocagem de produtos era grande, devido à produção em escala. Outro fator importante era a forma de produção que não era enxuta, ou seja, a produção era feita sem consentimento das vendas onde necessitava por parte das empresas local de estocagem. Também pode ser destacado que falhas na produção somente eram vistas no resultado final, não se sabendo assim onde havia ocorrido a falha. Resumindo as maquinas trouxeram agilidade porém havia há necessidade de estudar uma nova forma de produção, na qual a fabrica trabalhasse de forma dinâmica e ágil.

2- Características do Fordismo
-Reduzir custo e tempo de produção, para que o produto final tenha um valor simbólico(barato).
-Produção e comercio em massa.
-Velocidade de produção.
-Especialização dos funcionários, para que os mesmos executassem tarefas especificas, proporcionando agilidade.

3- O Liberalismo Clássico é uma doutrina na qual afirma que o crescimento de uma economia capitalista se dava mediante a não intervenção do estado, ocorrendo assim um livre comercio, assim como investimentos. O liberalismo dá ênfase à defesa da propriedade privada, liberdade econômica e igualdade perante a lei.

4- Caracteristica da Teoria Keynesiana
-Crescimento da demanda em junto com o aumento da capacidade produtiva da economia, de forma suficiente para garantir o pleno emprego.
-Atribuir ao Estado o direito de conceder benefícios sociais que garantam à população um padrão mínimo de vida como a criação de salário desemprego, redução da jornada de trabalho e assistência médica.
-Incentivar os investimentos de empresas, para que não houve-se crise
-Liberdade de comercio, visando a não intervenção do estado.

5- A produção enxuta da Toyota se dava da seguinte forma:
-O cliente tem autonomia na escolha e opinião do produto.
-Os funcionários trabalham em setores que tem habilidades.
-Os funcionários trabalham em equipe, onde os mesmos são responsáveis pela fabricação de determinados produtos. Os defeitos são visualizados durante o processo, sendo assim possível ver e concertar, antes de chegar no produto final.
-A fabrica somente produz o que for necessário, sendo assim algumas peças são produzidas em outras empresas, assim não ocorrendo estocagem de materiais.

6-Características do Taylorismo
-Agradar o consumidor
-Evitar o desperdício
-Produzir somente o necessário
-Obter qualidade, e um bom custo no produto final
-Qualidade final
-Trabalho em equipe

Anônimo disse...

Aluno: Lucas Eduardo Azarias do Nascimento
Nº 20 – 2ºB
1 – A s imples concepção de novas máquinas não pode ser suficiente para que tenhamos uma noção mais ampla sobre o processo de produção na era industrial. Outras interferências nas formas de trabalho e na política administrativa das indústrias também tiveram grande importância. Nesse sentido, a racionalização das atividades industriais garantiu a ampliação dos lucros e o sucesso comercial de uma empresa.
Por muito tempo, os problemas ocorridos durante o processo de fabricação encareciam o valor final do produto e limitava o potencial produtivo de uma indústria. Concomitantemente, para que um bem fosse fabricado, vários funcionários se reuniam e desempenhavam funções aleatórias que limitavam o aperfeiçoamento técnico de cada trabalhador. Em outras situações, a mão de obra de um operário era desperdiçada no tempo em que esperava pela conclusão da tarefa de outro funcionário.
2- Uma das principais características do Fordismo foi o aperfeiçoamento da linha de montagem. Os veículos eram montados em esteiras rolantes que movimentavam-se enquanto o operário ficava praticamente parado, realizando uma pequena etapa da produção. Desta forma não era necessária quase nenhuma qualificação dos trabalhadores.
Além da fabricação em massa .
3 - é uma forma de liberalismo que defende as liberdades individuais, igualdade perante a lei, limitação constitucional do governo, direito de propriedade, direitos naturais, proteção das liberdades civis e restrições fiscais ao governo. É a fusão do liberalismo econômico com liberalismo político do final do século XVIII e século XIX
O "núcleo normativo" do liberalismo clássico é a ideia que economia conseguiria criar uma ordem espontânea ou mão invisível que beneficiaria a sociedade, apesar que ele não se opõe a provisão de alguma produtos básicos pelo governo onde eles são vistos como limitados
4 - A escola keynesiana se fundamenta no princípio de que o ciclo econômico não é auto-regulado como pensam os neoclássicos, uma vez que é determinado pelo "espírito animal" (animal spirit no original em inglês) dos empresários. É por esse motivo, e pela incapacidade do sistema capitalista conseguir empregar todos os que querem trabalhar, que Keynes defende a intervenção do Estado na economia
5 - A Produção Enxuta parte do princípio que existem sete tipos de desperdícios dentro da empresa os quais devem ser atacados e eliminados. Estes desperdícios segundo Gianesi & Corrêa, são:Desperdício de superprodução : provém, em geral, de problemas e restrições do processo produtivo, tais como altos tempos de preparação de equipamentos, induzindo à produção de grandes lotes; incerteza da ocorrência de problemas de qualidade e confiabilidade de equipamentos, levando a produzir mais do que o necessário; falta de coordenação entre as necessidades (demanda) e a produção, em termos de quantidades e momentos; grandes distâncias a percorrer com o material, em função de um arranjo físico inadequado,levando à formação de lotes para movimentação, entre outros. Desse modo, a filosofia Enxuta sugere que se produza somente o que é necessário no momento e, para isso, que se reduzam os tempos de set up, que se sincronize a produção com a demanda, que se compacte o layout da fábrica, e assim por diante.
6- -> Racionalização da produção.
-> Economia de mão de obra.
-> Aumento da produtividade no trabalho.
-> Corte de “gestos desnecessários de energia” e de “comportamentos supérfluos” por parte do trabalhador.
-> Acabar com qualquer desperdício de tempo
- >Ênfase nas tarefas
- > Objetivando o aumento da eficiência ao nível operacional

Anônimo disse...

Mariana Scharf - 26 - 2º B

1. Para aumentar a precisão e a produtividade foram inseridas novas máquinas no processo. A substituição da mão-operária pelas máquinas fez com que aumentasse o desemprego em escala mundial, inclusive nos países desenvolvidos economicamente. Contudo, a concepção "enxuta" passou a exigir maior autonomia tanto do trabalhador para expor as suas habilidades, quanto do consumidor para dar vez à sua vontade. É nesse modelo que o sujeito tem a chance de escolher, tomar decisões, propor soluções e gerar novas idéias.

2. Uma das maiores preocupações do Fordismo era conceber meios para que a capacidade produtiva dos homens e máquinas atingisse seu patamar máximo. Para tanto, ele acreditava que estudos científicos minuciosos deveriam combater os problemas que impediam o incremento da produção.O objetivo principal deste sistema era reduzir ao máximo os custos de produção e assim baratear o produto, podendo vender para o maior número possível de consumidores.

3. Era uma doutrina econômica onde se defendia a ideia de que o desenvolvimento econômico de uma nação estaria atrelado a um princípio de não-intervenção do Estado na economia.

4. A proposta keynesiana tem como ponto fundamental revisar as teorias liberais lançadas pelo teórico Adam Smith, principalmente, no que se refere às novas configurações assumidas pela economia capitalista.Segundo o pensamento keynesiano, a premissa fundamental para se compreender uma economia encontrava-se na simples observação dos níveis de consumo e investimento do governo, das empresas e dos próprios consumidores. Partindo desse princípio, a doutrina keynesiana aponta que no momento em que as empresas tendem a investir menos, inicia-se todo um processo de retração econômica que abre portas para o estabelecimento de uma crise.

5. A proposta é de que o próprio consumidor escolha seu produto. O estabelecimento ou a fábrica deixa de "empurrar" a mercadoria para o cliente, para que este a "puxe" de acordo com as suas próprias necessidades.
Ao contrário do sistema de massa, essa outra concepção de produção delega aos trabalhadores a ação de escolher qual a melhor maneira de exercerem seus trabalhos, assim eles têm a chance de inovar no processo de produção. Com isso, o trabalhador deve ser capacitado, para qualificar suas habilidades e competências, que antes não eram necessárias. Dessa forma, os industriais investem na melhoria dos funcionários, dentro e fora das indústrias. Também trabalhavam com o Sistema Just In Time: produzir somente o necessário, quando necessário no tempo necessário.

6.Uma das preocupações fundamentais de Frederick Winslow Taylor era conceber meios para que a capacidade produtiva dos homens e máquinas atingisse seu patamar máximo. Para tanto, ele acreditava que estudos científicos minuciosos deveriam combater os problemas que impediam o incremento da produção.Principais características e objetivos do Taylorismo eram: a divisão das tarefas de trabalho dentro de uma empresa; especialização do trabalhador; treinamento e preparação dos trabalhadores de acordo com as aptidões apresentadas; análise dos processos produtivos dentro de uma empresa como objetivo de otimização do trabalho; adoção de métodos para diminuir a fadiga e os problemas de saúde dos trabalhadores;implantação de melhorias nas condições e ambientes de trabalho;uso de métodos padronizados para reduzir custos e aumentar a produtividade;criação de sistemas de incentivos e recompensas salariais para motivar os trabalhadores e aumentar a produtividade;uUso de supervisão humana especializada para controlar o processo produtivo;disciplina na distribuição de atribuições e responsabilidades;uso apenas de métodos de trabalho que já foram testados e planejados para eliminar o improviso.

Anônimo disse...

Cicero número 06 2o B

1. Para aumentar a precisão e a produtividade foram inseridas novas máquinas no processo. A substituição da mão-operária pelas máquinas fez com que aumentasse o desemprego em escala mundial, inclusive nos países desenvolvidos economicamente. Contudo, a concepção "enxuta" passou a exigir maior autonomia tanto do trabalhador para expor as suas habilidades, quanto do consumidor para dar vez à sua vontade. É nesse modelo que o sujeito tem a chance de escolher, tomar decisões, propor soluções e gerar novas idéias.

2. Uma das maiores preocupações do Fordismo era conceber meios para que a capacidade produtiva dos homens e máquinas atingisse seu patamar máximo. Para tanto, ele acreditava que estudos científicos minuciosos deveriam combater os problemas que impediam o incremento da produção.O objetivo principal deste sistema era reduzir ao máximo os custos de produção e assim baratear o produto, podendo vender para o maior número possível de consumidores.

3. Era uma doutrina econômica onde se defendia a ideia de que o desenvolvimento econômico de uma nação estaria atrelado a um princípio de não-intervenção do Estado na economia.

4. A proposta keynesiana tem como ponto fundamental revisar as teorias liberais lançadas pelo teórico Adam Smith, principalmente, no que se refere às novas configurações assumidas pela economia capitalista.Segundo o pensamento keynesiano, a premissa fundamental para se compreender uma economia encontrava-se na simples observação dos níveis de consumo e investimento do governo, das empresas e dos próprios consumidores. Partindo desse princípio, a doutrina keynesiana aponta que no momento em que as empresas tendem a investir menos, inicia-se todo um processo de retração econômica que abre portas para o estabelecimento de uma crise.

5. A proposta é de que o próprio consumidor escolha seu produto. O estabelecimento ou a fábrica deixa de "empurrar" a mercadoria para o cliente, para que este a "puxe" de acordo com as suas próprias necessidades.
Ao contrário do sistema de massa, essa outra concepção de produção delega aos trabalhadores a ação de escolher qual a melhor maneira de exercerem seus trabalhos, assim eles têm a chance de inovar no processo de produção. Com isso, o trabalhador deve ser capacitado, para qualificar suas habilidades e competências, que antes não eram necessárias. Dessa forma, os industriais investem na melhoria dos funcionários, dentro e fora das indústrias. Também trabalhavam com o Sistema Just In Time: produzir somente o necessário, quando necessário no tempo necessário.

6.Uma das preocupações fundamentais de Frederick Winslow Taylor era conceber meios para que a capacidade produtiva dos homens e máquinas atingisse seu patamar máximo. Para tanto, ele acreditava que estudos científicos minuciosos deveriam combater os problemas que impediam o incremento da produção.Principais características e objetivos do Taylorismo eram: a divisão das tarefas de trabalho dentro de uma empresa; especialização do trabalhador; treinamento e preparação dos trabalhadores de acordo com as aptidões apresentadas; análise dos processos produtivos dentro de uma empresa como objetivo de otimização do trabalho; adoção de métodos para diminuir a fadiga e os problemas de saúde dos trabalhadores;implantação de melhorias nas condições e ambientes de trabalho;uso de métodos padronizados para reduzir custos e aumentar a produtividade;criação de sistemas de incentivos e recompensas salariais para motivar os trabalhadores e aumentar a produtividade;uUso de supervisão humana especializada para controlar o processo produtivo;disciplina na distribuição de atribuições e responsabilidades;uso apenas de métodos de trabalho que já foram testados e planejados para eliminar o improviso.

Anônimo disse...

Nome: Henrique Veloso Santiago Nº:13
Ensino Médio - 2ºB

1- As maquinas não conseguiram solucionar todos os problemas de produção, uns dos problemas foram a segregação sócioespacial, a urbanização e consequentemente o exodo rural; onde, com a chegada das maquinas os trabalhadores do campo procuraram uma melhora de vida na cidade, assim provocando alguns problemas na produção.

2- O Fordismo tinha como principais características a produção em massa, o objetivo era reduzir os custos de produção e assim baratear o produto.

3- Com o desenvolvimento da economia capitalista e a formação dos monopólios, os princípios do liberalismo econômico foram cada vez mais entrando em contradição com as novas realidades econômicas, baseadas na concentração da renda e da propriedade.

4- A teoria Keynesiana foi um conjunto de idéias que propunham a intervenção estatal na vida econômica com o objetivo de conduzir a um regime de pleno emprego.

5- No Toyotismo os consumidores que escolhiam seus carros, onde a concepção era de que os consumidores buscassem seus produtos e não a empresa empurrar o mesmo ao consumidor.
No Toyotismo, ao contrario do Fordismo, a produção não era feita em massa, e os trabalhadores escolhiam uma parte especifica para trabalhar, assim de a cordo com a concepção a produção era mais eficiente e rápida.

6- As principais características do Taylorismo:
- Racionalização da produção.
- Economia de mão-de-obra.
- Aumento da produtividade no trabalho.
- Corte de “gestos desnecessários de energia” e de “comportamentos supérfluos” por parte do trabalhador.
- Acabar com qualquer desperdício de tempo.

Anônimo disse...

Vinicius de Menezes Schiefferdecker
Número:35 2ºB


1-Os problemas ocorridos durante o processo de fabricação foram muitos, estes encareciam o valor final do produto e limitavam o potencial produtivo de uma indústria, para que um produto fosse fabricado, vários funcionários agiam sobre ele desempenhando funções aleatórias, com isso nenhum trabalhador tinha um aperfeiçoamento técnico, ao invés disso cada um deles, sabia de tudo um pouco, com isso perdia-se muito tempo, dinheiro e a própria mão de obra.
2-Características do Fordismo: Reduzir custo e tempo de produção, para que o produto final tenha um valor simbólico (barato); produção e comercio em massa; velocidade de produção; especialização dos funcionários, para que os mesmos executassem tarefas especificas, proporcionando agilidade.
3-O liberalismo clássico é a sociedade na qual o sonho é uma realidade, onde o resultado de eleições era altamente irrelevante, pois a própria sociedade, é regida por leis e não por homens, eles defendiam a ideia de que o desenvolvimento econômico de uma nação estaria atrelado a um princípio de não intervenção do estado na economia.
4-O objetivo era manter o crescimento desta demanda proporcional ao crescimento da capacidade produtiva da economia, de forma que pudesse garantir o pleno emprego, porém sem o excesso, pois este poderia provocar um aumento da inflação.
5-A produção enxuta da Toyota foi o novo modo de pensar, um novo sistema que foi a grande característica do toyotismo, ela sofreu forte influência do engenheiro W. Edwards Deming, este, argumentava com os industriais da nação quase em ruínas que melhorar a qualidade, não diminuiria a produtividade.
6- Características do Taylorismo: Agradar o consumidor; evitar o desperdício; produzir somente o necessário; obter qualidade, e um bom custo no produto final; qualidade final; trabalho em equipe.

Anônimo disse...

1-Junto com a qualidade total também foram inseridas novas máquinas para o interior das indústrias, com maior precisão e produtividade. A substituição da mão-operária pelas máquinas fez com que aumentasse o desemprego em escala mundial, inclusive nos países desenvolvidos economicamente. Contudo, a concepção "enxuta" passou a exigir maior autonomia tanto do trabalhador para expor as suas habilidades, quanto do consumidor para dar vez à sua vontade.
2- Suas principais características eram o sistema de produção em massa de mercadorias, tinha objetivo de reduzir ao máximo o custo de produção, assim deixando mais barato o produto e mais acessível a população.
3- O liberalismo clássico era a doutrina econômica que alegava que o desenvolvimento econômico de uma nação estaria atrelado a um principio de não intervenção do estado na economia
4- Se fundamenta, afirmando que o ciclo econômico não é auto regulado, como pensam os neoclássicos. A teoria diz que o Estado possui o direito e o dever de conceder benefícios sociais que garantam a população um padrão mínimo de vida.
5- Mão de obra multifuncional e bem qualificada.
Sistema flexivel de mecanização voltada para a produção somente do necessário.
Implantação do sistema de qualidade total em todas as etapas de produção.

6- - Racionalização da produção.
- Economia de mão-de-obra.
- Aumento da produtividade no trabalho.
- Corte de “gestos desnecessários de energia” e de “comportamentos supérfluos” por parte do trabalhador.
- Acabar com qualquer desperdício de tempo.

Lucas Zanoello Ardigó 2B N:22

Anônimo disse...

Camilla Souza 2º B Nº 5
1- A Revolução tornou os métodos de produção mais eficientes. Os produtos passaram a ser produzidos mais rapidamente, barateando o preço e estimulando o consumo. Por outro lado, aumentou também o número de desempregados. As máquinas foram substituindo, aos poucos, a mão-de-obra humana. A poluição ambiental, o aumento da poluição sonora, o êxodo rural e o crescimento desordenado das cidades também foram conseqüências nocivas para a sociedade.
Até os dias de hoje, o desemprego é um dos grandes problemas nos países em desenvolvimento. Gerar empregos tem se tornado um dos maiores desafios de governos no mundo todo. Os empregos repetitivos e pouco qualificados foram substituídos por máquinas e robôs. As empresas procuram profissionais bem qualificados para ocuparem empregos que exigem cada vez mais criatividade e múltiplas capacidades. Mesmo nos países desenvolvidos tem faltado empregos para a população.
2- O objetivo principal deste sistema era reduzir ao máximo os custos de produção e assim baratear o produto, podendo vender para o maior número possível de consumidores. Desta forma, dentro deste sistema de produção, uma esteira rolante conduzia a produto, no caso da Ford os automóveis, e cada funcionário executava uma pequena etapa. Logo, os funcionários não precisavam sair do seu local de trabalho, resultando numa maior velocidade de produção. Também não era necessária utilização de mão-de-obra muito capacitada, pois cada trabalhador executava apenas uma pequena tarefa dentro de sua etapa de produção.
3- A teoria do liberalismo econômico surgiu no contexto do fim do mercantilismo, período em que era necessário estabelecer novos paradigmas, já que o capitalismo estava se firmando cada vez mais. A ideia central do liberalismo econômico é a defesa da emancipação da economia de qualquer dogma externo a ela mesma, ou seja, a eliminação de interferências provenientes de qualquer meio na economia.
4- Conjunto de idéias que propunham a intervenção estatal na vida econômica com o objetivo de conduzir a um regime de pleno emprego. As teorias de John Maynard Keynes tiveram enorme influência na renovação das teorias clássicas e na reformulação da política de livre mercado. Acreditava que a economia seguiria o caminho do pleno emprego, sendo o desemprego uma situação temporária que desapareceria graças às forças do mercado. O objetivo do keynesianismo era manter o crescimento da demanda em paridade com o aumento da capacidade produtiva da economia, de forma suficiente para garantir o pleno emprego, mas sem excesso, pois isto provocaria um aumento da inflação.
5- Na linguagem da engenharia industrial consagrada pela Toyota, perdas (MUDA em japonês) são atividades completamente desnecessárias que geram custo, não agregam valor e que, portanto, devem ser imediatamente eliminadas. Ohno, o grande idealizador do Sistema Toyota de Produção, propôs que as perdas presentes no sistema produtivo fossem classificadas em sete grandes grupos, a saber:
Perda por super-produção (quantidade e antecipada); Perda por espera; Perda por transporte; Perda no próprio processamento; Perda por estoque; Perda por movimentação; Perda por fabricação de produtos defeituosos. Perda por Superprodução
De todas as sete perdas, a perda por super-produção é a mais danosa. Ela tem a propriedade de esconder as outras perdas e é a mais difícil de ser eliminada.
Existem dois tipos de perdas por superprodução: Perda por produzir demais (superprodução por quantidade) Perda por produzir antecipadamente (superprodução por antecipação)
6- - Racionalização da produção. Economia de mão-de-obra. Aumento da produtividade no trabalho. Corte de “gestos desnecessários de energia” e de “comportamentos supérfluos” por parte do trabalhador. Acabar com qualquer desperdício de tempo.

Anônimo disse...

Ana Paula 2ºC nº4

1-Pois alguns erros ocorridos no processo de produção do produto acabavam refletindo no fim (hora da compra) e tornando o produto muito caro, o que diminuía o numero de vendas dele.

2-Reduzia ao máximo os custos de produção assim barateando o produto, podendo vender para o maior número possível de consumidores. O funcionário participava de uma pequena etapa da produção pois uma esteira levava o produto até ele, assim agilizando a produção do produto.

3-Liberdade: O governo deve agir somente para prevenir danos a terceiros.
Individualismo: Sustentar que o indivíduo é mais importante do que o coletivo. Não devemos sacrificar os interesses dos indivíduos por aquilo que algumas pessoas chamam de “o bem comum".
O governo tinha que manter o nível de emprego na economia.

4-“Conjunto de idéias que propunham a intervenção estatal na vida econômica com o objetivo de conduzir a um regime de pleno emprego. John Maynard Keynes Acreditava que a economia seguiria o caminho do pleno emprego, sendo o desemprego uma situação temporária que desapareceria graças às forças do mercado.’’

5-Aconteceu na primeira metade do século XX, uma medida no Japão de Tauch Ohno para corrigir a produção em massa, etc! Japão estava sem dinheiro por causa da crise, então teve como objeto nessa produção economizar energia, produção com setor de qualidade, todos trabalham juntos para obter um bom resultado, sem disputa de quem era o melhor e tinham como base o Just in time que era a produção necessária sem excesso.

6-Abriu o caminho para novos profissionais. Tinha como base maior produção em menos tempo, profissionais focados, economia na mão de obra, o aumento da produtividade e o término da perca de tempo. Nesse processo há a racionalização do que o trabalhador faz.

Anônimo disse...

André Passos 2²C N: 05

1- No fordismo, por exemplo, as falhas só eram identificadas no final do proceso, causando perda de tempo na separação das peças com falhas. E eram produzidas várias peças, para nunca faltar, gerando um estoque.

2- Os defeitos nos produtos só eram identificados no final do processo, a empresa fabricava muitas das peças que compunham o produto, o funcionário só deveria se preocupar com as tarefas imediatas e a empresa detar os projtos deveria executar os projeos feitos pelos seus engenheiros.

3-a principal característica é um pensamento democrático.

4-se fundamenta no princípio que o ciclo economico não é auto regulado. A teoria diz que o estado deve conceber beneficios sociais à população, para que tenham um padrão mínimo aceitável de vida.

5- mão de obra bem qualificada e versátil. Sistema de produção voltado somente ao necessário, e qualidade total em todas as etapas de produção.

6- Princípio que deverá ter economia de tempo, dinheiro e energia. Os movimentos agora são racionalizados.

Anônimo disse...

1-Pois como havia produção em massa haviam muitos erros de fábrica e eles nao eram fiscalizados,sendo assim as empresas sofriam um enorme prejuízo.
2-produção em massa;semi-automatização;linhas de montagem visando a economia captalista;preços baixos.
3-O governo praticava o liberalismo ,ou seja, nao intervinha nas decisões das empresas,porém isso não deu certo e acabou com a idéia de John Maynard Keynes para dar melhores direitos ao trabalhador,já que a maioria estava desempregado e com a ocorrência da queda da bolsa de valores de 1929.
4-O governo buscava intervir mais na questão econômica da população e garantir melhores direitos para o trabalhador como o seguro desemprego,menor jornada de trabalho e salários maiores.
5-O Toyotismo pregava a seguinte filosofia:fazer tudo com muita segurança e garantia de satisfação da clientela,pois tinha um padrão de qualidade que era fiscalizado por sua tecnologia avançada,parando imediatamente cada erro na execução do produto e fazer somente o necessário para não ocorrer prejuízo. O
6-Derivada do Fordismo,o Taylorismo tinha a concepção de produzir em massa,porém fazendo que a produção fosse racionalizada,diminuindo os movimentos para a execução do produto,dando menos desgaste ao trabalhador e dando melhor remuneração ao empregado.

Helisson Vieira 2C N22

Anônimo disse...

1 - Por muito tempo, os problemas ocorridos durante o processo de fabricação encareciam o valor final do produto e limitava o potencial produtivo de uma indústria. Simultaneamente, para que um bem fosse fabricado, vários funcionários se reuniam e desempenhavam funções aleatórias que limitavam o aperfeiçoamento técnico de cada trabalhador. Em outras situações, a mão de obra de um operário era desperdiçada no tempo em que esperava pela conclusão da tarefa de outro funcionário. No Fordismo, por exemplo, os erros cometidos durante a produção, só eram percebidos no final do processo, peças eram produzidas em excesso, o que trazia prejuízos para a produção. A substituição da mão-operária pelas máquinas no Toyotismo, fez com que aumentasse o desemprego em escala mundial, inclusive nos países desenvolvidos economicamente. 2- O empresário norte-americano Henry Ford estabeleceu um eficiente modelo desenvolvido pelas necessidades da indústria automobilística. Ele concebeu a chamada linha de produção. Essa linha era composta por uma esteira rolante que movimentava o produto fabricado. A cada movimento, um operário desempenhava uma pequena parcela da montagem do produto industrial. Por meio desse modelo, Henry Ford conseguiu uma nova dinâmica de produtividade ao conseguir fabricar uma quantidade de automóveis nunca antes observadas. Sua experiência acabou sendo empregado em outros campos, e o lucro aumentou muito. 3- O liberalismo Clássico existia nas nações capitalistas que geriam o campo econômico com base nas teorias estabelecidas na doutrina econômica onde se defendia a ideia de que o desenvolvimento econômico de uma nação estaria atrelado a um princípio de não intervenção do Estado na economia. Visavam o Pensamento Democrático. 4- A Escola Keynesiana se fundamenta no princípio de que o ciclo econômico não é auto regulado, como pensam os neoclássicos. A Teoria atribui ao Estado o direito e o dever de conceder benefícios sociais que garantam a população um padrão mínimo de vida. 5- As fábricas da Toyota, sem necessitar de grande área para estoque, são descentralizadas em menores proporções, interligadas por sistemas de informação, com sofisticadas tecnologias de informação e comunicação.
Dois conceitos inovadores que surgiram na Toyota merecem destaque: equipe de trabalho (team work) e qualidade total. Em uma fábrica "enxuta" todo o trabalho é feito por equipes. Quando um problema aparece, toda a equipe é responsável. Quando ocorre um defeito na montagem de uma peça, a equipe de montagem se organiza na busca de maneiras de resolver o problema. Junto com a qualidade total também foram inseridas novas máquinas para o interior das indústrias, com maior precisão e produtividade. A substituição da mão-operária pelas máquinas fez com que aumentasse o desemprego em escala mundial, inclusive nos países desenvolvidos economicamente. Contudo, a concepção "enxuta" passou a exigir maior autonomia tanto do trabalhador para expor as suas habilidades, quanto do consumidor para dar vez à sua vontade. É nesse modelo que o sujeito tem a chance de escolher, tomar decisões, propor soluções e gerar novas ideias. 6 – O Taylorismo, desenvolvido pelo engenheiro norte-americano Frederick Winslow Taylor, tem como uma de suas preocupações fundamentais conceberem meios para que a capacidade produtiva dos homens e máquinas atingisse seu patamar máximo. Ele provou que o máximo controle sobre o desempenho das máquinas e do trabalho poderia desenvolver uma indústria. As situações que não poderiam ser controladas por meio de dados estatísticos e numéricos deveriam ser expressamente bloqueadas. O treinamento, a especialização e o controle seriam as ferramentas básicas que concederiam a interferência positiva na produtividade da indústria.
Jean Carlos Adriano Júnior n º: 25 Série: 2º C

Anônimo disse...

Eduardo Silva
n 17 2ºC

1-Com a teoria de Taylor ( Taylorismo ) fez com que operários fizessem seu trabalho mais eficiente e com rapidez, onde ali reduziam-se custos e aumentariam o poder de produção. Junto com a divisão de trabalhos nas empresas, onde facilitou a produção, produzindo mais rapido.

2- Fordismo tinha como objetivo, produzir mais barato seus produtos, produzindo mais, e vendendo para mais consumidores.

3- O governo intervia nas empresas, supervisionando elas fazendo com que mantesse alto nivel de produção economica com um pensamento altamente democrático.

4- Exigindo mais dos trabalhadores a teoria Keynesiana tinha como foco principal produzir somente o necessário porém com uma qualidade excelente.

5- Toyotismo tinha como função uma produção qualificada com várias funções, tinha um "pensamento do cliente" produzindo o necessário onde influenciou o mercado atual, sendo neoliberalistas.

6-Divisão das tarefas de trabalho dentro de uma empresa, especialização do trabalhador, implantação de melhorias nas condições e ambientes de trabalho, uso de métodos padronizados para reduzir custos e aumentar a produtividade.

Anônimo disse...

Nome: Georgina Munaier
Numero: 20
2°C

1: a simples concepção de novas máquinas não pode ser suficiente para que tenhamos uma noção mais ampla sobre o processo de produção na era industrial. Devemos também salientar que outras interferências nas formas de trabalho e na política administrativa das indústrias também tiveram grande importância. Nesse sentido, a racionalização das atividades industriais garantiu a ampliação dos lucros e o sucesso comercial de uma empresa.

2: Em síntese, Henry Ford desenvolveu três princípios de administração, em seu livro My Life and Work, que podem ser assim resumidos:
1) princípio da intensificação: consiste em reduzir o tempo de produção com o emprego imediato dos equipamentos e matérias-primas e a rápida colocação do produto no mercado.
2) princípio da economicidade: consiste em reduzir ao mínimo o estoque da matéria-prima em transformação, de tal forma que uma determinada quantidade de automóveis (a maior possível) já estivesse sendo vendida no mercado antes do pagamento das matérias-primas consumidas e dos salários dos empregados.
3) princípio de produtividade: consiste em aumentar a quantidade de produção por trabalhador na unidade de tempo mediante a especialização e a linha de montagem.

3: O pensamento liberal teve sua origem no século XVII, através dos trabalhos sobre política publicados pelo filósofo inglês John Locke. Já no século XVIII, o liberalismo econômico ganhou força com as idéias defendidas pelo filósofo e economista escocês Adam Smith.

4: A doutrina keynesiana é uma teoria econômica que ganhou destaque no início da década de 1930, no momento em que o capitalismo vivia uma de suas mais graves crises. Nesta época, as nações capitalistas geriam o campo econômico com base nas teorias estabelecidas por liberalismo clássico, doutrina econômica onde se defendia a idéia de que o desenvolvimento econômico de uma nação estaria atrelado a um princípio de não-intervenção do Estado na economia.

5: Na produção em série da Ford ainda houve muitos desperdícios de matéria prima e tempo de mão-de-obra na correção de defeitos do produto. Essa estrutura durou até o final da Segunda Guerra Mundial, quando também numa fábrica de automóveis no Japão, aparece um outro sistema de produção - o toyotismo, que se caracterizou pela concepção "enxuta" (clean, magra, sem gorduras). Esse novo modo de pensar a produção sofreu forte influência do engenheiro americano W. Edwards Deming, que atuou como consultor das forças de ocupação dos EUA no Japão após a Segunda Guerra. Deming argumentava com os industriais da nação quase em ruínas que melhorar a qualidade não diminuiria a produtividade.


6: - Divisão das tarefas de trabalho dentro de uma empresa;
- Especialização do trabalhador;
- Treinamento e preparação dos trabalhadores de acordo com as aptidões apresentadas;
- Análise dos processos produtivos dentro de uma empresa como objetivo de otimização do trabalho;
- Adoção de métodos para diminuir a fadiga e os problemas de saúde dos trabalhadores;
- Implantação de melhorias nas condições e ambientes de trabalho;
- Uso de métodos padronizados para reduzir custos e aumentar a produtividade;
- Criação de sistemas de incentivos e recompensas salariais para motivar os trabalhadores e aumentar a produtividade;
- Uso de supervisão humana especializada para controlar o processo produtivo;
- Disciplina na distribuição de atribuições e responsabilidades;
- Uso apenas de métodos de trabalho que já foram testados e planejados para eliminar o improviso.

Anônimo disse...

1- A organização foi hierarquizada e sistematizada, e o tempo de produção passou a ser cronometrado. Com isso, aumenta a produtividade de trabalho das empresas. A teoria de Taylor fez com que os operários executassem de forma mais simples e rápida a sua função, incentivos salariais e prêmios de produção,padronização aplicação de métodos para reduzir custos
2- A principal característica do fordismo foi a introdução das linhas de montagem, na qual cada operário ficava em um determinado local realizando uma tarefa específica, enquanto o automóvel (produto fabricado) se deslocava pelo interior da fábrica em uma espécie de esteira. Com isso, as máquinas ditavam o ritmo do trabalho.
3-A ideia central do liberalismo econômico é a defesa da emancipação da economia de qualquer dogma externo a ela mesma, ou seja, a eliminação de interferências provenientes de qualquer meio na economia. Quesnay afirmava que a verdadeira atividade produtiva estava inserida na agricultura. O economista escocês confrontou as ideias de Quesnay e Gournay, afirmando em seu livro “A Riqueza das Nações” as principais ideias do liberalismo econômico: a prosperidade econômica e a acumulação de riquezas não são concebidas através da atividade rural e nem comercial, mas sim através do trabalho livre, sem nenhum agente regulador ou interventor.
4- Conjunto de ideias que propunham a intervenção estatal na vida econômica com o objetivo de conduzir a um regime de pleno emprego. As teorias de John Maynard Keynes tiveram enorme influência na renovação das teorias clássicas e na reformulação da política de livre mercado. Acreditava que a economia seguiria o caminho do pleno emprego, sendo o desemprego uma situação temporária que desapareceria graças às forças do mercado.
5- O Sistema Toyota de Produção (STP) foi criado nos anos 1950 pela Toyota Motor Corporation. A empresa, que iniciou suas atividades no Japão do final dos anos 1930, estabeleceu a ambiciosa missão de reformular seu sistema de produção para alcançar e eventualmente superar as gigantes estadunidenses Ford e General Electric (GE). Essas empresas dominavam o mercado mundial utilizando a produção em massa e economias de escala, fabricando assim automóveis da forma mais barata possível. Esse sistema era adequado à produção de uma larga quantidade de veículos de um número limitado de modelos.
6-*Racionalização da produção.
* Economia de mão de obra.
* Aumento da produtividade no trabalho.
*Corte de “gestos desnecessários de energia” e de “comportamentos supérfluos” por parte do trabalhador.
*Acabar com qualquer desperdício de tempo.
Aluna: Beatriz Vieira nº09 2ºC EM

Nome: Thuany Karoline Stuart Série: 2ºEM Turma: A Nº: 30 disse...

Nome: Thuany Karoline Stuart Série: 2ºEM Turma: A Nº: 30

1- A má gestão e dinâmica com que se conduziam as fábricas no início da industrialização levou a um resultado um pouco a baixo do esperado. Os problemas durante a produção encareciam o produto final e limitavam o potencial produtivo da empresa. Os funcionários, que desenvolviam funções aleatórias, não tinham oportunidade de desenvolverem técnicas adequadas. Com isso, muito tempo e mão-de-obra eram desperdiçados.

2- O fordismo foi criado por Henry Ford, que baseado nas necessidades da indústria automobilística, desenvolveu o modelo de linha de produção. Esteiras levavam os produtos e os funcionários realizavam uma pequena parcela do processo cada um. Nesse modelo também foi utilizado o estoque, para que não faltassem peças, pois se uma peça faltasse, toda a produção parava. E a produção era na própria empresa.

3- O liberalismo clássico, elaborado por Adam Smith, defendia que o desenvolvimento de uma nação estaria atrelado à não-interferência do Estado na economia.

4- A teoria keynisiana, elaborada por John Maynard Keynes, contradizia o liberalismo clássico, alegando que quando as empresas tendem a investir menos, abre-se brecha para uma crise. Segundo ele, o governo deveria suprir essa demanda através de investimentos que aquecessem a economia, e linhas de baixo crédito.

5- No modelo toyotista, surgido no Japão pós segunda guerra, a indústria valorizava o cliente e o uso final do produto. Com uma produção mais minuciosa, era importante a detecção de falhas. A produção visava mais qualidade, por isso, a empresa investia mais na capacitação e bem-estar do funcionário, que trabalhava em grupo, e podia optar pela melhor forma de exercer seu trabalho. As peças são fornecidas por outras empresas e o estoque é mínimo. As fábricas, com menor espaço físico, são fragmentadas e interligadas por uma rede de comunicação.

6- O taylorismo defendia que quanto mais controle da indústria sobre as máquinas e os trabalhadores, maior o desenvolvimento da fábrica. O treinamento, a especialização e o controle eram ferramentas fundamentais.

Anônimo disse...

Matheus Carvalho 2º C - 32

1- A racionalização das atividades industriais garantiu a ampliação dos lucros e o sucesso comercial de uma empresa. Por muito tempo, os problemas ocorridos durante o processo de fabricação encareciam o valor final do produto e limitava o potencial produtivo de uma indústria.

2- Fordismo é um modelo de Produção em massa que revolucionou a indústria automobilística na primeira metade do século XX.
Uma das principais características do Fordismo foi o aperfeiçoamento da linha de montagem. Os veículos eram montados em esteiras rolantes que movimentavam-se enquanto o operário ficava praticamente parado, realizando uma pequena etapa da produção. Desta forma não era necessária quase nenhuma qualificação dos trabalhadores.

3- É uma forma de liberalismo que defende as liberdades individuais, igualdade perante a lei, limitação constitucional do governo, direito de propriedade, direitos naturais, proteção das liberdades civis e restrições fiscais ao governo.

4- Intervenção estatal na vida econômica com o objetivo de conduzir a um regime de pleno emprego. As teorias de John Maynard Keynes tiveram enorme influência na renovação das teorias clássicas e na reformulação da política de livre mercado. Acreditava que a economia seguiria o caminho do pleno emprego, sendo o desemprego uma situação temporária que desapareceria graças às forças do mercado.

5- A idéia principal era produzir somente o necessário, reduzindo os estoques, produzindo em pequenos lotes, com a máxima qualidade, trocando a padronização pela diversificação e produtividade. As relações de trabalho também foram modificadas, pois agora o trabalhador deveria ser mais qualificado, participativo e polivalente, ou seja, deveria estar apto a trabalhar em mais de uma função.

6- Propunha uma intensificação da divisão do trabalho, ou seja, fracionar as etapas do processo produtivo de modo que o trabalhador desenvolvesse tarefas ultra-especializadas e repetitivas. Diferenciando o trabalho intelectual do trabalho manual. Fazendo um controle sobre o tempo gasto em cada tarefa e um constante esforço de racionalização, para que a tarefa seja executada num prazo mínimo. Portanto, o trabalhador que produzisse mais em menos tempo receberia prêmios como incentivos.

Anônimo disse...

1 - Implicou na qualidade do produto. Estimulou as pesquisas para o aprimoramento e melhorias de rendimento, o que também causou vários problemas em freios, de tornar mais leve o peso.
2- Trabalho dividido; Aperfeiçoamento das linhas de montagem, tinha uma esteira rolante que movimenta o objeto(material) enquanto o operário ficava parado, não tendo muita qualificaçao do trabalhador (oposto de taylorismo); Não há mais a valorizaçao do profissional que dominava o processo produtivo
3- defendia as liberdades individuais, igualdade perante a lei, limitação constitucional do governo, direito de propriedade, direitos naturais, proteção das liberdades civis e restrições fiscais ao governo.
4- Atribui ao estado o direito e o dever de conceder benefícios sociais que garantam à população um padrão mínimo de vida como a criação do salário-mínimo, do salario-desemprego, da redução da jornada de trabalho( que superava 12 horas diárias) e assistência medica gratuita.
5- Surgido no Japão, logo após a segunda guerra mundial, o sistema toyota de produção ou a produção enxuta da Toyota e tinha como objetivo aumentar a eficiência da produção pela eliminação contínua de desperdícios. Os lotes de produção são pequenos, permitindo uma maior variedade de produtos
6- Racionalização da produção; Economia de mão-de-obra; Aumento da produtividade no trabalho; Corte de “gestos desnecessários de energia” e de “comportamentos supérfluos” por parte do trabalhador; Acabar com qualquer desperdício de tempo.

Aluna: Ana Luiza Roncelli Back
Número: 3
Série: 2C

Anônimo disse...

1-Complicou na qualificação da fabricação dos veículos. estimulou melhorias de rendimento, após pesquisas e aprimoramentos terem sido feitos, (aumento de aceleração, velocidade, capacidade de carga) o que se traduziu no surgimento de novos problemas (freios, perfis mais aerodinâmicos, necessidade de tornar mais leve o peso. )
2-O fordismo de Henry Ford tinha como suas principais características, elevação do lucro e por consequência baixa na qualidade do produto. Existiam dois tipos de produção, o de construção e o artesanal, que cada modo era pra um tipo especial de clientes, nos de construção até mesmo os trabalhadores podiam comprar, a cor era geralmente preta por ser uma cor que secava logo. O fordismo se caracteriza muito por ter estoques de produção.
3-O liberalismo clássico ( forma de liberalismo) que defendia as liberdades individuais, direito de propriedade, direitos naturais, igualdade perante a lei, etc.
4- conjuntos de ideias que propunham a intervenção estatal na vida econômica da população, garantia de emprego. O objetivo do keynesianismo era manter o crescimento da demanda em paridade com o aumento da capacidade produtiva da economia, de forma suficiente para garantir o pleno emprego, mas sem excesso, pois isto provocaria um aumento da inflação. Nesta época, as nações capitalistas geriam o campo econômico com base nas teorias estabelecidades por liberalismo clássico, doutrina econômica onde se defendia a ideia de que o desenvolvimento econômico de uma nação estaria atrelado a um principio de não-intervenção do Estado na economia.
5-O toyotismo se caracterizou pela concepção enxuta, que atendia as necessidades do cliente, não fazendo vendas forçadas empurrando o produto. A Toyota ao adotar essa concepção, rompe com a produçãi em série que era destinada a lucros e não a qualidade, com essa concepção possibilitou oferecer um produto personalizado ao consumidor. As ferramentas utilizadas eram de acordo com cada proposta demandada pelo cliente. Inclusive, passou a produzir automóveis com larga escala de cores,que antes com o antigo tipo de produção era geralmente preto.
6-Sistema de exploração industrial devido a Frederick Winslow Taylor e fundado dos princípios da psicotécnica e da organização racional do trabalho e com o qual se procura obter, com o mínimo de tempo e de atividade, o máximo de rendimento assemelhando-se ao fordismo. Caracterizado por movimentos repetitivos.Desde então, e cada vez mais, tempo é uma mercadoria, e o trabalhador, que ”vende” sua mão-de-obra, portanto, seu tempo, tem a incumbência de cumprir com suas tarefas no menor tempo possível, para que possa produzir mais e mais, que tem como principais características Racionalização da produção, economia de mão-de-obra, aumento da produtividade no trabalho, corte de “gestos desnecessários de energia” e de “comportamentos supérfluos” por parte do trabalhador acabar com qualquer desperdício de tempo.

Aluna: Nathália Bragatti
Número: 34
Série: 2C

Anônimo disse...

Fabiana nº10 2º ano A
1) À chegada das máquinas, substitui inúmeros trabalhadores, que possuiam trabalhos pequenos, facilmente substituídos, trocando por menos custos, mais tempo e maior qualidade. Assim gerando desemprego, quem havia saído do campo às cidades em busca de emprego, infelizmente precisa ir às ruas sem saber outra função que poderia exercer, gerando um grande desiquilíbrio econômico com alta taxa de pessoas nas ruas.
2)*Conceber meios para que a capacidade produtiva dos homens e máquinas atingisse seu patamar máximo.
*Fabricação em massa.
*Máximo controle sobre o desempenho das máquinas e do trabalho poderia desenvolver uma indústria.
*Aperfeiçoamento da linha de montagem.
*Os veículos eram montados em esteiras rolantes que movimentavam-se enquanto o operário 3)Criar uma ordem espontânea ou mão invisível que beneficiaria a sociedade, apesar que ele não se opõe a provisão de alguma produtos básicos pelo governo onde eles são vistos como limitados. Combater o mercantilismo, cujas práticas já não atendiam às novas necessidades do capitalismo.
4)*Revisar as teorias liberais lançadas pelo teórico Adam Smith
*Observação dos níveis de consumo e investimento do governo, das empresas e dos próprios consumidores.
*Defende a necessidade do Estado em buscar formas para se conter o desequilíbrio da economia.
5)Produzir apenas o necessário, máquinas que desligavam automaticamente caso ocorresse qualquer problema, produzir somente após a venda, trabalho em equipe e controle total de qualidade durante o processo de produção
6)*Racionalização da produção.
*Economia de mão-de-obra.
*Aumento da produtividade no trabalho.
*Corte de movimentos desnecessários por parte do trabalhador.
*Acabar com qualquer desperdício de tempo.

Anônimo disse...

Camila Hickenbick, nº:7 2ºA
1-com a entrada das máquinas gerou o desemprego de muitos funcionários, em escala global, devido a industrialização.

2-Henry Ford concebeu a linha de produção, que consistia em uma esteira rolante que movimentava o produto fabricado. Os trabalhadores exerciam uma função específica, o que contribuia parcialmente na montagem do produto industrial.
3- Tem um pensamento democrático,desenvolveu-se na Inglaterra tendo como base o liberalismo econômico defendido pelos fisiocratas.
4-Ganhou destaque no ínicio da década de 30 e defendia que os governos deveriam aplicar grandes remessas de capital na realização de investimentos que aquecessem a economia de modo geral. Era de fundamental importância que o governo também concedesse linhas de crédito ao baixo custo, garantido a realização de investimentos do setor privado.
5-A Toyota, ao adotar a concepção "enxuta" e rompendo com a produção em série, possibilitou oferecer um produto personalizado ao consumidor. As ferramentas usadas eram de acordo com cada proposta demandada pelo cliente. Inclusive, passou a produzir automóveis com larga escala de cores, sem gerar custos adicionais. Dois conceitos inovadores que surgiram na Toyota merecem destaque: equipe de trabalho e qualidade total. Em uma fábrica "enxuta" todo o trabalho é feito por equipes. Quando um problema aparece, toda a equipe é responsável. Quando ocorre um defeito na montagem de uma peça, a equipe de montagem se organiza na busca de maneiras de resolver o problema. Há uma cobrança entre os pares para que cada membro atue de uma maneira que não prejudique os companheiros. Algumas fábricas delegam à equipe a função de demitir ou aceitar novos funcionários.
6-A teoria de Taylor consistia em operários trabalhando de forma simples e mais rápida sua função epecífica. O tempo de produção passou a ser cronometrado e os trabalhadores eram estimulados com premios.

Anônimo disse...

1-O trabalho industrial foi fragmentado, pois cada trabalhador passou a exercer uma atividade específica no sistema industrial.A teoria de Taylor fez com que os operários executassem de forma mais simples e rápida a sua função,incentivos salariais e prêmios de produção,padronização e aplicação de métodos para reduzir custos.
2-O Fordismo foi o sistema de produção em massa de mercadorias das mais diversas espécies. Objetivo deste sistema era reduzir ao máximo o custo de produção, baratear o produto, e vender para o maior número possível de consumidores.Aumentava a produção, eram lentos na locomoção, baixos preços ajudavam no aumento e crescimento das vendas dos automóveis.
3-O liberalismo clássico tem como sua principal característica um pensamento democrático.O governo nacional tinha a obrigação de manter altos níveis de emprego na economia, supervisionar os padrões de vida e trabalho, regular os métodos de competição empresarial e de estabelecer padrões compreensivos de segurança social.
4-A idéia principal era produzir somente o necessário, reduzindo os estoques, produzindo em pequenos lotes, com a máxima qualidade, trocando a padronização pela diversificação e produtividade.
5-Organização político-econômica, oposta às concepções neoliberalistas, fundamentada na afirmação do Estado como agente indispensável de controle da economia, com objetivo de conduzir a um sistema de pleno emprego.Essas teorias tiveram uma enorme influência na renovação das teorias clássicas e na reformulação da política de livre mercado.

Bernardo Marucco Nº10 2ºC

Anônimo disse...

Bruna Teixeira- 11- 2°C
1) As causas e consequencias que ocorriam durante a produçao era que cada funcionario tinha apenas uma funçao, o mesmo ficava ali numa jornada de trabalho excessivo, realizando o mesmo movimento durante horas, sem poder descançar. isso afetava diretamente a saude do funcionario, e com um funcionario doente, a linha de produçao iria necessitar de um remanejamento, para que aquele setor nao sofresse alteraçoes, ou fosse prejudicado.
2) Idealizado pelo empresário estadunidense Henry Ford (1863-1947), fundador da Ford Motor Company, o Fordismo é um modelo de Produção em massa que revolucionou a indústria automobilística na primeira metade do século XX. Ford utilizou à risca os princípios de padronização e simplificação de Frederick Taylor e desenvolveu outras técnicas avançadas para a época. Suas fábricas eram totalmente verticalizadas. Ele possuia desde a fábrica de vidros, a plantação de seringueiras, até a siderúrgica. Ford criou o mercado de massa para os automóveis. Sua obsessão foi atingida: tornar o automóvel tão barato que todos poderiam comprá-lo.
3) O governo praticava o liberalismo ,ou seja, nao intervinha nas decisões das empresas,porém isso não deu certo e acabou com a idéia de John Maynard Keynes para dar melhores direitos ao trabalhador,já que a maioria estava desempregado e com a ocorrência da queda da bolsa de valores de 1929. Devido a super produçao, a qualidade do produto estava ficando precária, pois nao se conseguia fiscalizar uma produçao em massa, dado que era naquela época. Por isso as empresas sofriam prejuizos financeiramente, pois seu produto nao possuia uma qualidade, ao qual o comprador ficasse satisfeito .
4) Conjunto de idéias que propunham a intervenção estatal na vida econômica com o objetivo de conduzir a um regime de pleno emprego. As teorias de John Maynard Keynes tiveram enorme influência na renovação das teorias clássicas e na reformulação da política de livre mercado. Acreditava que a economia seguiria o caminho do pleno emprego, sendo o desemprego uma situação temporária que desapareceria graças às forças do mercado.
5) O Sistema Toyota de Produção também é chamado de Produção enxuta ou Lean Manufacturing. O Sistema Toyota de Produção, os lotes de produção são pequenos, permitindo uma maior variedade de produtos. Exemplo: em vez de produzir um lote de 50 sedans brancos, produz-se 10 lotes com 5 veículos cada, com cores e modelos variados. Os trabalhadores são multifuncionais, ou seja, conhecem outras tarefas além de sua própria e sabem operar mais que uma única máquina. No Sistema Toyota de Produção a preocupação com a qualidade do produto é extrema. Foram desenvolvidas diversas técnicas simples mas extremamente eficientes para proporcionar os resultados esperados, como o Kanban e o Poka-Yoke.
6) Racionalização da produção; Economia de mão-de-obra; Aumento da produtividade no trabalho; Corte de “gestos desnecessários de energia” e de “comportamentos supérfluos” por parte do trabalhador; Acabar com qualquer desperdício de tempo.

Anônimo disse...

Pamela 2B 30
a-s problemas ocorridos durante o processo de fabricação encareciam o valor final do produto e limitava o potencial produtivo de uma indústria. Concomitantemente, para que um bem fosse fabricado, vários funcionários se reuniam e desempenhavam funções aleatórias que limitavam o aperfeiçoamento técnico de cada trabalhador. Em outras situações, a mão de obra de um operário era desperdiçada no tempo em que esperava pela conclusão da tarefa de outro funcionário.

B- principal característica é a fabricação em massa
reduzir ao máximo os custos de produção e assim baratear o produto, podendo vender para o maior número possível de consumidor

C-Era como se dizia o ``deixar fazer`` a nacao nao era regida pelo estado, cada empresa tinha direito de fazer oque queria, e era autodesenvolvida, nao existia uma interferencia do estado.

D-Estado frente a nacao, o estado era fundamental no keynesianismo, ele deveria investir nas industrias, empresas, para assim gerar lucro, deveria dar um bom capital..

E-Asmodernasfábricasdeautomóveis aglutinam os fornecedores just in time próximos de si e adquirindo pequenos lotes na mesma frequência da produção, criando um fluxo contínuo;
 Osistemadeproduçãoadapta-semais facilmente às montadoras de produtos onde a demanda de peças é relativamente previsível e constante, sem grandes oscilações.

F-- Racionalização da produção.
- Economia de mão-de-obra.
- Aumento da produtividade no trabalho.
- Corte de “gestos desnecessários de energia” e de “comportamentos supérfluos” por parte do trabalhador.
- Acabar com qualquer desperdício de tempo.

Anônimo disse...

Amanda Wiggers, 2B numero 1
1-Com a introduçao das maquinas, muitos problemas ocorriam durante o processo de fabricação encareciam o valor final do produto e limitava o potencial produtivo de uma indústria.Em outras situações, a mão de obra de um operário era desperdiçada no tempo em que esperava pela conclusão da tarefa de outro funcionário. Para solucionar esses problemas criaram-se sistemas que agilizavam a produçao e evitavam desperdicios, como o Taylorismo

2- Princípios de padronização e simplificação de Frederick Taylor e desenvolveu outras técnicas avançadas para a época. Suas fábricas eram totalmente verticalizadas.O objetivo principal deste sistema era reduzir ao máximo os custos de produção e assim baratear o produto, podendo vender para o maior número possível de consumidores. Uma das principais características do Fordismo foi o aperfeiçoamento da linha de montagem. Os veículos eram montados em esteiras rolantes que movimentavam-se enquanto o operário ficava praticamente parado, realizando uma pequena etapa da produção. Desta forma não era necessária quase nenhuma qualificação dos trabalhadores.
3-O liberalismo classico foi uma doutrina econômica onde se defendia a ideia de que o desenvolvimento econômico de uma nação estaria atrelado a um princípio de não-intervenção do Estado na economia.
4- O Estado deveria conceder benefícios a população.Instauração do salário mínimo, salário desemprego, reduçao da jornada de trabalho. O Estado investe para abrir novos empregos. Sem excessos na produçao
5- Os lotes de produção são pequenos, permitindo uma maior variedade de produtos. Exemplo: em vez de produzir um lote de 50 sedans brancos, produz-se 10 lotes com 5 veículos cada, com cores e modelos variados. Os trabalhadores são multifuncionais, ou seja, conhecem outras tarefas além de sua própria e sabem operar mais que uma única máquina. No Sistema Toyota de Produção a preocupação com a qualidade do produto é extrema.
6- Divisão das tarefas de trabalho dentro de uma empresa;
- Especialização do trabalhador;
- Treinamento e preparação dos trabalhadores de acordo com as aptidões apresentadas;
- Análise dos processos produtivos dentro de uma empresa como objetivo de otimização do trabalho;
- Adoção de métodos para diminuir a fadiga e os problemas de saúde dos trabalhadores;
- Implantação de melhorias nas condições e ambientes de trabalho;
- Uso de métodos padronizados para reduzir custos e aumentar a produtividade;
- Criação de sistemas de incentivos e recompensas salariais para motivar os trabalhadores e aumentar a produtividade;
- Uso de supervisão humana especializada para controlar o processo produtivo;
- Disciplina na distribuição de atribuições e responsabilidades;
- Uso apenas de métodos de trabalho que já foram testados e planejados para eliminar o improviso.