sábado, 29 de agosto de 2015

FÁBRICA DE PAINÉIS SOLARES EM CAMPINAS-SP


Fábrica de painéis solares deve estimular inovação brasileira em geração de energia

Com apoio do governo federal, empresa chinesa BYD investirá R$ 150 milhões para montar uma unidade de produção, em Campinas (SP)
por Portal Brasil publicado 22/05/2015 11:54, última modificação 22/05/2015 11:5
ARQUIVO/EBC
painel
Além da fábrica, será instalado também um centro de inovação e pesquisa em energia limpa
Brasília – O grupo chinês BYD anunciou que vai montar a primeira fábrica no Brasil de painéis solares fotovoltaicos. O investimento será R$ 150 milhões, e a unidade ficará em Campinas, no interior de São Paulo. O anúncio foi feito durante a visita do primeiro ministro da China, Li Keqiang, que se encontrou com a presidenta Dilma Rousseff.
O presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), David Barioni Neto, e a vice-presidente do Grupo BYD, Stella Li, assinaram um memorando de entendimento para oficializar o investimento.
A empresa vai instalar também um centro de pesquisa e desenvolvimento com foco em estudos e tecnologias para veículos elétricos, baterias, “smart grid”, energia solar e iluminação. O centro e a nova fábrica de painéis também serão instalados em Campinas.
“Creio que o nosso compromisso com a tecnologia e a inovação em tudo o que fazemos, trará aos brasileiros uma alternativa em energia renovável para enfrentar os desafios futuros, e viver uma vida mais saudável e mais gratificante”, afirma a vice-presidente sênior da BYD, Stella Li.
Até 2017, o Grupo BYD pretende investir R$ 1 bilhão no Brasil. Para o diretor de relações governamentais da BYD Brasil, Adalberto Maluf, o investimento em painéis solares inaugura uma nova fase da energia limpa. “Traremos uma tecnologia de ponta, chamada de “double glass”, que significará painéis solares fotovoltaicos com maior eficiência e durabilidade em relação aos painéis convencionais. Com isso, a geração limpa e descentralizada será cada vez mais competitiva no Brasil.”
O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, acredita que a chegada de uma nova planta para fabricação de painéis fotovoltaicos no Brasil deve ser celebrada não apenas pela geração de novos empregos, mas também por ser um estímulo para o desenvolvimento da indústria nacional.
“Esta nova unidade é um investimento em alta tecnologia, que estimulará a setores indiretos do nosso parque industrial. São novos postos de trabalho, em um setor de grande adensamento tecnológico. Há muitos fatores positivos nesta operação”, disse o ministro.
David Barioni explica que a concretização de aportes estrangeiros é uma decisão que envolve muito planejamento, por isso leva tempo para ser concretizada. “É comum uma empresa levar até três anos para aplicar o recurso. É uma decisão que envolve cifras vultosas. Neste caso específico, muito além do dinheiro, o investimento representa um avanço tecnológico para o Brasil, inaugurando uma nova frente de produção energética”.
A BYD Energy faz parte do Grupo BYD, conglomerado que emprega 180 mil pessoas em 15 unidades instaladas em várias partes do mundo. Segundo o Portal Brasil, o grupo estudo o mercado brasileiro desde 2011 e, desde então, conta com o apoio da Apex-Brasil, agência vinculada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. No ano passado, o grupo chinês aportou R$ 100 milhões na instalação de uma fábrica de ônibus elétricos, também em Campinas.
Segundo o Portal Brasil, a Apex-Brasil apoia empresas estrangeiras com informações sobre o mercado brasileiro, análise de custos operacionais, localização de áreas para instalação da fábrica e, principalmente, na interlocução governamental nas três esferas: federal, estadual e municipal.

Nenhum comentário: